Uma festa que deveria marcar o início da união entre duas pessoas pelo amor acabou sendo palco para um drama familiar pelo ódio entre parentes, na cidade de Cascavel, na região Oeste do Paraná.

Um homem foi esfaqueado por outro e acabou morrendo durante o evento, que aconteceu na noite do último sábado (10).

De acordo com a imprensa local, horas antes do assassinato, já no início das comemorações, a polícia militar foi chamada por conta de uma briga entre os dois envolvidos. Na ocasião, foi feito om Boletim de Ocorrência registrando vias de fato e na sequência a festa continuou após a polícia orientar os dois ‘brigões’ a se retirarem.

Publicidade
Publicidade

Os noivos jamais poderiam imaginar os desdobramentos trágicos do evento.

Um dos convidados acabou voltando ao local e agredindo o desafeto com golpes de faca. Médicos socorristas do serviço móvel de urgência da cidade foram acionados para prestar assistência à vítima, mas não foram capazes de evitar a sua morte. O rapaz tinha sido gravemente ferido no abdome e perdeu muito sangue.

Um vídeo feito por um dos convidados mostra a equipe tentando salvar o paciente da morte com manobras e massagens cardíacas ainda na calçada do local onde ocorreu a festa, na Rua Marechal Deodoro, no Centro de Cascavel. Um desfibrilador também foi usado, no entanto, a vítima não resistiu aos ferimentos e faleceu junto ao meio-fio.

O mais inusitado é que a vítima, identificada como Vanderlei Bauermann, 45 anos de idade, é tio do suposto agressor e assassino.

Publicidade

Seu sobrinho e outra rapaz que também teria participado da situação conseguiram fugir do local. Eles foram localizados pela equipe do Pelotão de Choque e já estão presos.

As autoridades policiais já fizeram a perícia no corpo e no local da festa e a vítima foi levada para o Instituto Médico Legal (IML) do Município. Testemunhas serão ouvidas e mais elementos serão colhidos no trabalho de apontamento do autor e coautor do #Crime em família. Estão à frente das investigações policiais da Delegacia de Homicídios (DH) e Cascavel.

#Casos de polícia