O site Folha de Vitória publicou nesta segunda-feira, 12, uma história curiosa, que aconteceu na cidade de Mimoso do Sul, no Espírito Santo (ES). De acordo com o portal de notícias, uma mulher de cinquenta e oito anos, que trabalha como costureira, decidiu procurar a política por um motivo inusitada. Ela esteve em uma boca de fumo da região e comprou maconha de um traficante. A senhora, que trabalha duro para receber seu ordenado, diz que pagou vinte reais pela substância. No entanto, ela alega que recebeu outra coisa. Ao chegar em casa e abrir a embalagem, ela sentiu o cheiro de comida. Era orégano que estava ali. A mulher ficou uma fera ao saber que havia sido enganada.

Publicidade
Publicidade

Ela então decidiu tomar providências, a fim de que novos "consumidores" não passassem pelo mesmo problema que ela.

A mulher, que não teve o nome identificado, telefonou para a polícia e questionou como deveria proceder. Os agentes então incentivaram ela a ir à uma delegacia. Foi isso o que ela fez. No local, a viciada fez a denúncia sobre a droga falsa e pediu que o caso não acabasse em "pizza", gíria utilizada no meio da política para casos que não são investigados e ninguém é punido. Aos policiais, ela contou um outro fato importante, que antes de procurar os agentes, esteve de novo na boca de fumo. No entanto, os traficantes teriam dito que se ela reclamasse muito levaria um tiro e seria morta. Sentindo-se lesada, a costureira viu na lei a única solução para seu problema, envolvido em muita ilegalidade.

Publicidade

Ela então indicou aos agentes onde ficava a boca de fumo e quem foram os homens que não apenas venderam a maconha, como também a ameaçaram de morte. Os homens tem vinte e oito e trinta e dois anos. A Folha de Vitória não escreveu os nomes deles em suas reportagens, mas diz que os meliantes foram obrigados a prestarem depoimentos em uma delegacia da região. Após tudo resolvido, eles assinaram um termo circunstanciado e foram liberados. Não se sabe se eles foram ter uma "conversinha" com a tal costureira. #Crime #Investigação Criminal