Um caso registrado em vídeo neste sábado (17) está gerando muita revolta nas redes sociais. Nas imagens Luiz Felipe Neder Silva, de 34 anos, morador da cidade de Três Corações, em Minas Gerais, aparece discutindo e depois agredindo violentamente uma guarda feminina.

Na verdade a guarda que aparece apanhando no vídeo, Edvania Nayara, seria a segunda vítima do agressor. A agente estava em serviço e tentou impedir uma situação de violência doméstica envolvendo Luiz Felipe e sua esposa, Ana Paula Gontijo.

Segundo testemunhas, a mulher estava sendo espancada pelo marido em plena rua. Ela seria delegada da cidade de Três Corações.

Publicidade
Publicidade

Depois de repreendê-lo pela conduta violenta, a guarda aparece ouvindo explicações do agressor. Ele estava visivelmente transtornado e inesperadamente desfere um forte safanão, que a faz cair no chão. Na sequência ele chuta-lhe a cara.

Tudo foi filmado por populares, que parecem não acreditar no que acabaram de presenciar. Ninguém faz nada para segurar o valentão. Algumas pessoas acodem a guarda e tentam impedi-la de reagir contra ele.

O vídeo está causando enorme repercussão nas redes sociais. Sabe-se que o agressor é natural de Belo Horizonte, mas não foi divulgada a sua profissão e nem o motivo de seu nervosismo.

As imagens não mostram o que teria ocorrido com ele, mas um post publicado no Facebook, pela própria oficial atacada deixa claro que Luiz Felipe foi preso depois, o que chega a ser inusitado, já que a delegada da cidade é sua esposa e também foi agredida pelo acusado.

Publicidade

A guarda pede que as pessoas continuem compartilhando as imagens para conscientizar a sociedade sobre a necessidade de punição homens que praticam violência contra mulheres.

Disse ainda que apenas fez o seu trabalho e está com a consciência tranquila de que agiu de forma certa.

Uma versão extra oficial dá conta de que esta não é a primeira vez que Luiz Felipe teria batido na esposa. Há ainda a informação de que após a confusão a mulher teria tentado o suicídio. Entretanto não há, por enquanto, confirmação oficial destas informações.

#Crime #Casos de polícia