Nesta semana, um vídeo começou a provocar grande polêmica nas redes sociais. Ele mostra um dançarino de funk em uma coreografia inusitada. As imagens não tiveram o local de sua divulgação revelado, mas em alguns momentos, o cantor fala algumas coisas em português, pedindo a galera para ficar animada. Uma garota, de origem oriental, fica sentada no chão. Ela é retirada da plateia para participar do show. O cantor então chama um dançarino. O rapaz, negro, algo e musculoso começa a se exibir para a fã. Tudo seguia o curso normal, até que o dançarino faz o movimento de rebolado e encosta a sua parte íntima no rosto da mulher.

Ele faz isso diversas vezes, não mostrando qualquer pudor do que está fazendo.

Publicidade
Publicidade

A mulher também não parece muito incomodada por participar da ação, que acabou dando o que falar no Facebook. Ambos foram criticados pelos internautas e novamente, o funk, que é apenas um ritmo musical, acabou sendo criticado. "Infelizmente, falam que a gente é preconceituoso, mas toda hora vemos isso em apresentações de funk", disse um internauta criticando um dos ritmos mais populares do Brasil.

É bom lembrar que não é preciso acertar em que data o #Vídeo foi feito, pois é muito comum que esse tipo de imagem volte a repercutir na web. No entanto, o caso realmente está dividindo opiniões. Alguns argumentam que a cena não poderia acontecer em um local público, pois teria conotação muito forte. Já outros lembram que a fã poderia estar bêbada e talvez se arrependa do que fez na noite em que as imagens foram gravadas.

Publicidade

Não é a primeira vez que esse tipo de conteúdo é divulgado na web. Frequentemente, imagens desse tipo são muito frequentes. Em outro baile funk, por exemplo, novamente um dançarino polemizou, ao ficar rebolando por trás de uma jovem menor de idade.

Veja abaixo o vídeo que está provocando grande polêmica nas redes sociais. Na sua opinião, esse tipo de coreografia deveria mesmo acontecer nas apresentações? Deixe o seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós.