Um ato de desrespeito e intolerância foi registrado essa semana na cidade de Planaltina, Distrito Federal. O caso ocorreu no Centro de Ensino Fundamental Arapuanga. Um aluno de 12 anos acusou o diretor da escola em que estuda de ter sido ofendido e humilhado na frente dos colegas de classe. O motivo das ofensas teria sido pelo simples motivo do garoto ter ido à aula de chinelos.

Em entrevista ao canal de TV SBT, o garoto relatou o fato. Segundo o garoto, ele, juntamente com seus amigos, estava brincando descalço na hora do intervalo. Assim que o diretor o avistou sem os sapatos, caminhou até ele e pisou em cima do seu pé e, logo em seguida, pediu que o aluno fosse para a sala de aula, sem os chinelos.

Publicidade
Publicidade

O aluno disse ao repórter que no momento se sentiu humilhado e também sentiu vergonha dos colegas que presenciaram a agressão. Comprovando a versão do aluno, seu amigo disse: “a gente estava brincando de futebol, no pátio, com uma bolinha de papel, aí o vice-diretor tomou a bolinha, e pisou no pé dele para ele não calçar o chinelo. Depois pediu pra ele vim pra sala. Aí ele começou a chorar e veio".

Assim que soube da atitude do diretor, a secretária da escola entrou em contato com o Conselho Tutelar de Planaltina para denunciar o fato. Como houve um caso de flagrante, além do Conselho Tutelar, foi necessário a presença da Polícia Militar.

Segundo a mãe do aluno, após o ocorrido ele tem chorado muito e que foi uma humilhação muito grande o que o diretor fez ao seu filho. A respeito do comportamento do filho na escola, ela afirma que ele nunca sofreu nenhuma advertência e que nunca deu trabalho a ela e, por esses motivos, ela não entende a reação do diretor.

Publicidade

O diretor foi levado para a delegacia, onde prestou depoimentos e, logo em seguida, foi liberado. A secretaria de #Educação da cidade informa que a corregedoria de educação tomou conhecimento do caso e vai apurar os fatos. Caso for comprovado excesso por parte do diretor ele sofrerá processo administrativo, além das responsabilidades penais.