Avião da Lamia que transportava delegação Chapecoense para Medellín, na Colômbia, caiu porque estava sem combustível, fato que causou 71 mortes. A confirmação veio na noite de quarta-feira (30), pela Aeronáutica Civil Colombiana. Uma investigação foi aberta para definir os motivos que levaram a essa #Tragédia, visto que esse procedimento não é comum na aviação internacional, segundo informações passadas pelo Secretário de Segurança Aérea do país, Fredyy Bonnila. Ao todo, o avião transportava 77 pessoas, entre elas a delegação do time de Chapecó, além de jornalistas que fariam a cobertura do jogo entre Chapecoense e Atlético Nacional e a tripulação da aeronave.

Publicidade
Publicidade

Mas essas são apenas as primeiras informações apuradas, de que houve uma pane seca (falta de combustível), conforme conversa mantida entre o piloto e a torre de comando, minutos antes do #Acidente.

De acordo com informações passadas pelo coronel da aeronáutica, a caixa preta já foi localizada e deverá seguir para as autoridades da Inglaterra, país de fabricação da aeronave. Ele revela que o plano de voo imediato era para pousar em Rio Negro, e Bogotá seria apenas uma alternativa, mas não havia combustível suficiente para chegar até a capital. Um dos motivos para que decidissem não reabastecer a aeronave, foi o atraso no embarque no aeroporto de São Paulo, essa atitude errônea levou à morte 71 pessoas inocentes. O voo deveria ser fretado, mas a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) não deu autorização.

Publicidade

Caso tivesse acontecido esse voo previsto, eles teriam pousado em Cochabamba (Bolívia), reabastecido e voariam direto para a Colômbia, chegando às 23h (horário de Brasília), na segunda-feira.

Por causa de todos esses atropelos, o piloto Miguel Quiroga, também sócio da Lamia, decidiu voar com o tanque na medida exata, indo direto ao destino, sem pousar em Cobija ou Bogotá, assim, ele economizaria cerca de uma hora. O tanque da aeronave tinha capacidade para 2.963 quilômetros, a distância a ser coberta era de 2.985. O zagueiro da Chapecoense, Filipe Machado, postou vídeo de dentro do avião, ainda em São Paulo: "Vai começar a viagem. Vamos para o Acre e, depois vamos... para onde, Cadu? Cobija!