Nesta terça-feira, 13, o jornalista Rafael Henzel voltou ao Brasil após ficar cerca de quinze dias na cidade de Medellín, na Colômbia. Ele chegou ao território brasileiro em uma aeronave ambulância. Rafael foi um dos sobreviventes do acidente que envolveu o time da #Chapecoense. No dia 29 de novembro, o clube deixou a Bolívia e sofreu um acidente aéreo a bordo de uma aeronave da LAMIA. 71 pessoas morreram na queda aérea, que ocorreu a apenas 38 Km do aeroporto. Além de Rafael, também estava no avião o jogador Ana Ruschel. Ele se comunicou bastante com as pessoas que o esperavam na volta ao Brasil.

Ao pousar na cidade de Chapecó, em Santa Catarina, o jornalista teve um reencontro especial com uma pessoa muito importante, o filho dele.

Publicidade
Publicidade

O reencontro foi divulgado pelo canal de esportes ESPN. Esse momento único acabou comovendo os telespectadores e virando assunto nas redes sociais, já que mostra que em meio à tristeza das perdas há também esperança em dias melhores. Antes de vir ao Brasil, Henzel já tinha conversado com colegas de profissão, tentando explicar o que havia ocorrido naquela madrugada do dia 29, dia em que certamente ele não irá se esquecer tão cedo.

Na conversa com o repórter José Roberto Bornieur, Henzel falou sobre o filho, dizendo que ele revelou ter certeza que o pai estava vivo. “Meu filho batia no peito e dizia: ‘Sinto a respiração dele", dizia o repórter na conversa gravada por telefone. No vídeo divulgado pela ESPN nesta terça-feira, o herdeiro do sobrevivente é um dos primeiros a entrar na aeronave.

Publicidade

Como um gesto de homenagem, no entanto, antes da entrada do menino, foi jogado água na aeronave. O menino, ao entrar no avião deu um forte abraço no pai que chorava copiosamente. Outras pessoas da família também puderam fazer esse reencontro.

"Nossa, Deus é muito bom. Estou muito feliz por essa família estar reunida novamente", disse uma pessoa no Twitter.

Veja abaixo o reencontro do jornalista com seu filho, após a #Tragédia envolvendo o time da Chapecoense, na Colômbia: