O #Crime aconteceu na tarde desta última terça-feira (20), três agentes penitenciários foram vítimas de uma emboscada em Londrina, na região do Paraná. Segundo as informações da polícia as três vítimas tinham acabado de deixar a penitenciária Estadual, quando foram surpreendidos por homens encapuzados e armados com fuzil, e dispararam contra eles.

O agente penitenciário que morreu, foi atingido na cabeça e tinha 33 anos, ele foi identificado como sendo Thiago Borges de Carvalho. Os outros dois agentes foram atingidos de raspão, um na cabeça e o outro na barriga, e mesmo feridos conseguiram dirigir até o hospital.

Entre os agentes feridos estaria uma mulher, que foi atingida de raspão na cabeça, e o outro agente foi atingido também de raspão na barriga.

Publicidade
Publicidade

Os dois receberam atendimentos médicos e não correm risco de vida. O agente atingido na cabeça chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Os veículos onde estavam os agentes ficaram todos cravejados a balas. Os três agentes pertenciam ao grupo de operações do Depen, e tinham acabado de realizar uma bate-grade (uma revista apurada nas celas), na Penitenciária de Londrina II. Eles estavam a menos de 1 quilometro da penitenciária quando foram abordados pelos criminosos atirando. Houve troca de tiros, e os três agentes foram atingidos. Os bandidos encapuzados estavam em um veículo e fugiram.

Em um cerco policial na região onde aconteceu o crime a policia encontrou um veículo queimado a poucos metros do local do ataque. Este veículo incendiado pode ser o carro utilizado pelos criminosos.

Publicidade

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Londrina, para que os criminosos sejam identificados e presos. O Depen acompanha as investigações, e determinou o fechamento de todas as atividades internas das penitenciárias do estado por 48 horas, (entre elas o banho de sol, equipes de estudo e trabalho).

A Secretaria de Segurança Pública determinou que a penitenciária recebesse um reforço que será feito pela Polícia de Choque e contaram também com reforço do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE).

#Casos de polícia