O Tribunal de Justiça do Pará condenou o ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus Alfredo Paulo Filho a indenizar em R$ 5 mil uma advogada, que é fiel da denominação religiosa por danos morais. As informações são da revista eletrônica Consultor Jurídico.

Alfredo Paulo Filho frequentemente publica vídeos no YouTube com denúncias contra a #Universal. Para a advogada, esses vídeos menosprezam sua crença religiosa e ofendem os fiéis, insinuando que estes são “manipulados, incapazes de ‘perceber’ as supostas fraudes e enganações”.

Em sua sentença, o juiz de Direito Gerson Matta Gomes, da Vara do Juizado Especial Cível da Comarca de Santarém (PA), explicou que como Alfredo não foi à audiência de conciliação e julgamento, mesmo tendo sido intimado, ele foi julgado à revelia.

Publicidade
Publicidade

Ou seja, para a Justiça, tem o mesmo efeito de uma confissão de todas as acusações feitas contra ele no processo, de que os vídeos que publica trazem “conteúdo inverídico e desrespeitoso” contra a Igreja Universal, seus membros e adeptos. O número do processo é 0040364-45.2016.8.17.8201.

Há algumas semanas, Alfredo Paulo Filho saiu do Brasil e foi para a Europa. Em seu canal no YouTube, desde 24/10 ele tem postado seus vídeos daquele continente.

Atualmente, o ex-bispo estaria residindo em Basel, na Suíça.

Alfredo Paulo X Igreja Universal

Alfredo Paulo Filho se apresenta como tendo sido responsável pela igreja nos estados São Paulo, Rio, Minas e Rio Grande do Sul, além de Portugal.

Em seu canal no YouTube, o ex-bispo publica vídeos com inúmeros ataques contra a Universal e seus bispos, aqueles que chama de "líderes".

Publicidade

Recentemente, a Igreja obteve uma decisão judicial determinando a retirada da internet de vídeos produzidos por ele, por serem considerados ofensivos. De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, a ação tem como réus o Google do Brasil (dono do YouTube, onde os vídeos eram exibidos) e o próprio Alfredo. Em suas postagens, o ex-bispo de Universal cita muitos outros processos movidos contra ele.

#Condenação #BispoAlfredo