Luana de Almeida, tem apenas 31 anos. O nome dela ficou conhecido em todo o Brasil, graças ao seu trabalho na televisão. Ela foi repórter da RedeTV!, fazendo trabalhos para o TV Fama e para o 'Superpop', de Luciana Gimenez. Luana, no entanto, voltou a ser manchete em todo o país, mas dessa vez, por algo menos nobre. A beldade, de corpo escultural, virou uma das investigada pela Operação Ethos da Polícia Civil e co Ministério Público. Além de repórter, a moça é advogada, tendo carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e registro na cidade de São Paulo. De acordo com informações do portal de notícias R7, em reportagem publicada nesta quinta-feira, 8, a bela é considerada foragida da justiça desde o dia primeiro desse mês.

Publicidade
Publicidade

Foi nesta data que o Tribunal de Justiça de São Paulo solicitou a prisão preventiva de 54 pessoas. Entre elas, a própria Luana, que é acusada de receber uma quantia que pode chegar aos milhões de uma das facções criminosas mais temidas de São Paulo, o PCC. A ex-contratada da RedeTV! acabou largando a televisão e dedicando-se apenas ao campo jurídico. A polícia descobriu que ela se comunicava, através da internet, usando um nome falso, Doutora Carla. Além disso, a facção criminosa se referiria à bela com um código, R-35.

A polícia conseguiu ler as mensagens de e-mail de diversos advogados do PCC. Luana nega que faça a defesa ou tenha qualquer ligação com o grupo criminoso. No entanto, os investigadores já sabem que ela tinha contato íntimo e direto com os advogados confessos do PCC.

Publicidade

A polícia acredita que os bandidos tenham pago até R$ 3 milhões a esses profissionais nos últimos tempos. A ex-repórter da RedeTV!, através dos seus advogados, anunciou que não vai se entregar, pois é inocente. Ela ainda diz que não existem provas contra ela.

Por não obedecer a ordem judicial, a profissional da justiça pode receber uma pena ainda maior. Na internet, no entanto, o caso até virou piada. Tem gente que diz que a moça voltará entrevistando ela mesma para o TV Fama. #Crime