As famílias dos 19 jogadores da Chapecoense, mortos na queda do avião que levava a delegação do clube para a Colômbia, vão receber uma indemnização equivalente a 26 salários. Os salários pagos para os jogadores da #Chapecoense variavam entre R$ 20 mil e R$ 100 mil. O contrato de clube de futebol Chapecoense fornece um seguro de vida de 14 vezes o salário do jogador. Além disso, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) garante mais 12 salários, com limite de 1,2 milhão de reais por jogador.

A Associação de Futebol Chapecoense (ACF) já preparou os documentos para a compensação enquanto aguardam a repatriação dos restos mortais das vítimas.

Publicidade
Publicidade

Além disso, o clube de futebol brasileiro continuará a oferecer tratamento psicológico para todas as famílias e amigos das 71 vítimas da tragédia. Além das vítimas fatais da tragédia, os jogadores sobreviventes também terão direito à indenização para quaisquer deficiências decorrentes do acidente.

A indenização é menor do que em caso de morte, mas pode ser uma ajuda financeira importante. O velório coletivo das vítimas acontece neste sábado, 3, na Arena Condá, em Chapecó. Após o velório, os corpos serão liberados para os familiares para o sepultamento. De acordo com o portal “Globo #Esporte”, a Chapecoense vai disponibilizar os traslados para levar os corpos para as cidades onde os familiares quiserem enterrar os jogadores.

Lei Pelé

O seguro de vida tornou-se obrigatório para todos os contratos de futebol em 1998 com a assinatura da chamada Lei Pelé.

Publicidade

A lenda do futebol dirigia o Ministério do Esporte do Brasil, quando o projeto de lei foi assinado. A Lei Pelé instituiu o fim do passe nos clubes de futebol do Brasil, o direito do consumidor nos esportes, disciplinou a prestação de contas por dirigentes de clubes e a criação de ligas, federações e associações de vários esportes.

Por exemplo, a Lei Pelé fornece proteções para os jogadores em seus contratos, como uma tampa sobre a "penalização" por quebra de contrato. A lei também definiu os órgãos responsáveis pela fiscalização do seu cumprimento e determinou a independência dos Tribunais de Justiça Desportiva. #Casos de polícia