Yuri Lourenço da Silva, filho da funkeira Tati Quebra Barraco, morreu baleado nesta madrugada na Cidade de Deus, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro. Os parentes do jovem de 19 anos contam que ele teve o rosto ferido por tiros próximo à 1h da madrugada deste domingo. Yuri foi levado ao Hospital Lourenço Jorge, também na Zona Oeste do Rio, na Barra da Tijuca, mas não resistiu aos ferimentos.

Parentes do jovem narram que mais um jovem que estava com Yuri morreu após terem atirado contra ele. Para eles, os atiradores são policiais militares da UPP. Os policiais militares confirmaram que atiraram em duas pessoas, mas que foram em dois criminosos que surpreenderam os PMs que realizavam o patrulhamento rotineiro e que estavam armados.

Publicidade
Publicidade

Além disso, a polícia afirma que foram encontradas drogas e armas com eles, na Rua Quintanilhas, e que houve troca de tiros.

Um parente que não teve a identidade divulgada, disse ao Extra que os policiais atiraram para matar, pois é o que eles fazem quando se é pobre e preto. Ele declarou também, que os policiais depois de balearem o rapaz, registraram o fato por meio de fotos que foram divulgadas nas redes sociais. Ele conclui afirmando que os policiais não têm o direito de tirar vidas desse modo.

Nas redes sociais

A cantora de funk Tati Quebra Barraco postou em seu Twitter que os policiais haviam tirado um pedaço dela que jamais será preenchido. Ela declarou que a PM matou Yuri e que essa dor não cicatrizará.

Já em sua conta no Facebook, Tati declarou que está sendo difícil de acreditar, que ela não queria estar passando pelo que está passando e nunca sentir o que está sentindo.

Publicidade

Na rede social ela também conta que recebeu a ligação avisando que seu filho estava morto durante um show na boate Eleganza, que fica em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Ela finaliza a mensagem dando um recado a Yuri de que ela sempre o amará e pede desculpas, caso ela não tenha sido uma boa mãe, mas que ela só queria o melhor para ele. A postagem já teve mais de três mil reações e muitas mensagens de consolo. #Crime #Investigação Criminal