Nesta última sexta-feira, dia 18, um homem foi preso em Feira de Santana, cidade que fica a pouco mais de 100 quilômetros de Salvador, na Bahia. De acordo com a Polícia Civil, o sujeito teria estuprado uma criança de 8 anos por duas vezes. A criança é filha da namorada do suspeito e ela afirma que não sabia dos abusos. A polícia está procurando preservar a identidade das vítimas, para não trazer um trauma ainda maior para a família.

O estuprador já tinha um mandado de prisão e os agentes da DERCCA - Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra a Criança e Adolescente, foram até o bairro Papagaio, onde o suspeito foi detido, não oferecendo resistência ao ser preso.

Publicidade
Publicidade

A mãe da vítima disse à polícia que não tinha conhecimento dos abusos contra a criança e jamais imaginou que seu namorado fosse capaz de cometer algo tão terrível, mas assim que a criança revelou tudo que o homem estava fazendo com ela, a denúncia foi feita imediatamente.

Durante o período que o homem namorou a mãe da vítima, ele levava a criança para a casa onde morava, no bairro Mangabeira e lá cometia os abusos. O sujeito morava com sua mãe e na primeira vez que cometeu o #Estupro, esperou a senhora sair de casa, mas na segunda vez, como sua mãe encontrava-se na residência, teve que esperar ela dormir e aí cometeu o segundo estupro. A mãe do suspeito disse que não ouviu nada na noite em que seu filho teria cometido os abusos contra a criança e jamais imaginou que ele fosse capaz de fazer tamanha crueldade.

Publicidade

A polícia já deu início às investigações, mas não confirmou se a mãe da criança será investigada por supostamente colaborar com os estupros, ou se essa hipótese já foi descartada e ela é considerada mesmo inocente, de qualquer forma, as investigações continuarão, até mesmo para saber se outras crianças teriam sido vítimas do estuprador.

Por enquanto o sujeito encontra-se na 1ª Coordenadoria de Polícia Civil do Interior, mas nos próximos dias estará sendo levado para um presídio. A criança e também sua mãe, terão que passar por um atendimento psicológico para começarem a tentar superar o trauma. #Crime #Casos de polícia