Nesta terça-feira, 29, um avião que levava jogadores da #Chapecoense para a cidade de Medellín, na Colômbia, acabou caindo a apenas 38 Km do aeroporto. Quem pilotava a aeronave, da marca LAMIA, era um dos sócios da própria empresa, Miguel Quiroga. Ele é um dos 71 mortos na tragédia, chamada de maior de todos os tempos no esporte. 19 jogadores da Chapecoense faleceram. Dois estão vivos. Eles fazem parte dos seis sobreviventes desse momento surreal. Um dos atletas deve à sua vida a heróis. Um deles, em especial, chamou a atenção da imprensa de todo o mundo.

Jornais, televisões, sites e revistas disseram que um menino, de apenas dez anos, teria feito o resgate do jogador Alan Ruschel.

Publicidade
Publicidade

A identidade do tal menino foi revelada apenas nesta sexta-feira, 02. Isso aconteceu depois de muita mobilização na internet. O menino de chama Johan Alexis. Ele não tem quinze anos, como se chegou a dizer na imprensa, mas sim quinze anos. Johan foi descoberto pelo jornal 'El Colombiano', que conseguiu dele detalhes sobre o dia que certamente não deve ser esquecido pelo menino e por dezenas de famílias tão cedo.

O jovem confirma que ajudou as equipes de resgate a encontrarem os corpos. Ele mora perto do local da tragédia e estava com seu pai, Miguel Ramíres, no momento em que alguns socorristas estavam perdidos. Eles estavam indo para o lado errado do morro 'El Gordo'. Segundo o garoto, as equipes estavam abrindo caminho na mata, mas que ele conhecia um local que não necessitaria de tanto esforço.

Publicidade

Isso foi fundamental para o socorro acontecer de maneira mais rápida, preservando o maior número de vidas possíveis. Ao todo, sete pessoas deixaram o local com vida. Uma delas, o goleiro Danilo, morreu quando chegou ao hospital.

Alexis revelou ainda que ajudou no resgate do goleiro Follmann, que teve uma das pernas amputadas. Após tirar Alan Ruschel, primeiro resgatado, da região do acidente, o garoto correu até outro local, onde estavam os policiais, avisando que um ferido estava vivo. Ele deixou o local depois que foi inquerido várias vezes sobre suas reais intenções no local. Para evitar problemas, o garoto deixou de ajudar no resgate.