Um crime que aconteceu em pleno Natal está chocando o Brasil. Um rapaz de dezessete anos estuprou a própria irmã, de apenas oito. O abuso sexual aconteceu em um terreno baldio, que faz parte do quintal de onde a família dos dois menores mora. Em depoimento, o garoto negou que tivesse se relacionado sexualmente com a vítima. Segundo ele, seu objetivo era apenas "dar uma lição nela". No entanto, a delegacia que investiga o caso no Macapá, capital do Amapá, através de exames de corpo de delito, confirmou que a menor teve iniciada a conjugação carnal. Ou seja, que foi estuprada.

Por ser menor de idade, o abusador não pode ter o nome revelado.

Publicidade
Publicidade

Quem confirmou o abuso sexual foi um laudo da Politec, a Polícia Técnico-Científica (Politec) do Amapá. Com o resultado em mãos, a justiça determinou que o jovem fosse apreendido. Ele, por ser menor, não ficará na cadeia, mas sim em um centro socioeducativo. Quem descobriu o #Crime foi um policial militar aposentado. Ele estava ouvindo um choro, que mais parecia miado de gato. Ao olhar pelo muro, o PM flagrou a cena.

No depoimento, segundo a delegacia, o suspeito disse que agarrou a menina, mas que não teve a intenção de abusar dela, mas sim de dar uma lição, já que ela seria uma criança muito desobediente, que somente queria saber de ficar na rua. Ao conversar com os policiais, o jovem disse que teria simulado sexo. No entanto, conforme a perícia realizada, houve mesmo o estupro. Os investigadores ainda relatam depoimentos de moradores da região, que garantem que essa não seria a primeira vez que o irmão estupra a irmã.

Publicidade

No entanto, ainda faltam provas para elucidar essas afirmativas.

No início deste ano, o mesmo adolescente chegou a ser apreendido por tentar matar outra pessoa. Na ocasião, ele ficou quarenta e cinco dias preso. A vítima ainda não falou à polícia, pois estaria em estado de choque. Ela agora está com o Conselho Tutelar, que deve dar todo o apoio psicológico, para apenas depois a menor falar qualquer coisa sobre o assunto. #Investigação Criminal