Nesta quinta-feira, 15, um vídeo de uma jovem acabou viralizando nas redes sociais. Jmayra Barbosa, de São Paulo, estava desemprega. No entanto, ela fez questão de publicar um vídeo do seu novo serviço. Nele, ela aparece em uma obra virando uma massa de cimento. Esse tipo de situação, geralmente, é realizada por homens. No entanto, Jmayra não teve o menor preconceito com sua atividade. Muito pelo contrário, ela foi à luta e virou um dos assuntos mais comentados da #Internet. O vídeo em que ela realiza a ação já teve mais de 100 mil visualizações.

Muita gente elogiou a atitude da moça, dizendo que ela estava certa ao fazer a ação, incentivando outras garotas a realizarem o mesmo.

Publicidade
Publicidade

"Parabéns. As mulheres precisam fazer isso e muito mais para conseguir o seu lugar no mercado de trabalho", disse um dos seguidores da moça, que rapidamente ganhou muitos adeptos na rede social. "Muito bem! Só lembrei de alguém eu eu eu o homem da casa, melhores q muitos homens... Vamos q vamos", escreveu utilizando o internetês outro seguidor.

Barbosa também comentou o que ocorreu. Na legenda, ela disse que uma mulher pode ser qualquer coisa e não perder a beleza. Além do vídeo em que aparece trabalhando em uma obra, ela publicou duas imagens maquiada e de vestido, demonstrando que é possível trabalhar e ser bonita ao mesmo tempo. "Não ver esse rostinho de menininha achando que e não porque pra quem cuida da minha vida eu trabalho, meu amor eu não fico encostada esperando por homem não, é não pago pau pra ninguém nem pra mulher e nem pra homem mal amado", escreveu ela, rechaçando qualquer tipo de crítica que pudesse ser feita.

Publicidade

Veja vídeo em que mostra a mulher bela trabalhando em uma obra e demostrando que ninguém tem que dizer que ela é "encostada".

Na sua opinião, existe um preconceito com as mulheres apenas por elas serem belas, ou na verdade, muitas representantes femininas apenas não procuram determinados tipos de trabalho? Deixe o seu comentário. A sua opinião é muito importante para todos nós.