Um assassinato foi registrado na tarde de segunda-feira (12), na cidade de São Gonçalo do Amarante, cerca de 21 km de Natal. A vítima foi identificada como, Ana Lívia Sales, de 19 anos. Já o principal acusado de ter cometido o #Crime é o ex-esposo da vítima, identificado como Felipe Cunha Pinto, de 19 anos. O meliante se entregou para a polícia minutos após cometer o assassinato.

Segundo informações da polícia, a jovem foi até a residência da sua ex-sogra, que mora na mesma rua onde a vítima morava, para amamentar o seu filho de apenas seis meses que estava com o acusado. Ainda de acordo com a polícia, enquanto a jovem amamentava o seu filho, a mesma foi surpreendida por vários golpes de faca desferidos por seu ex-esposo.

Publicidade
Publicidade

Logo após esfaquear a ex-esposa, o mesmo saiu correndo do local.

No entanto, o resgate foi acionado, mas quando os socorristas chegaram no local informado, devidas as gravidades dos ferimentos, constataram que a vítima já estava sem vida. Uma colega de Ana, que estava lhe esperando na frente da residência onde ela foi assassinada, foi a última pessoa a conversar com a jovem através de mensagem pelo celular. No entanto, a jovem disse através de mensagem que estava com muito medo, em resposta a colega, disse que se qualquer coisa desse errado era para ela gritar.

Conforme relata a amiga da jovem, Ana estava separada do acusado a poucos dias, e a vítima já tinha prestado várias queixas para a Polícia Civil por ser vítima de violência doméstica. Conforme relatos de vizinhos, as brigas entre o casal eram frequentes e as agressões seriam motivadas por ciúmes.

Publicidade

A polícia esteve na cena do crime, em seguida fez uma ronda pela região atrás do acusado mas sem sucesso.

O corpo de Ana foi recolhido e levado para o IML da cidade, passou por todos os procedimentos necessários e em seguida, foi liberado para os seus familiares. Minutos após cometer o assassinato, o meliante se entregou na sede da Polícia Militar e em seguida foi levado até a delegacia da cidade. Onde está à disposição da Justiça. #Casos de polícia #Morte