Na última semana, a polícia divulgou as imagens de um #Crime ocorrido em novembro do ano passado no município de Ribeira de Pombal, a quase trezentos quilômetros de Salvador. Na ocasião um idoso, identificado como João Evangelista, de 73 anos, mais conhecido como Gaguinho, foi morto em sua própria fazenda com tiros à queima roupa. As câmeras de segurança da residência gravaram toda a ação do assassino.

As imagens foram utilizadas nas investigações para tentar solucionar a autoria do crime e identificar os bandidos. Nas cenas divulgadas pelos investigadores somente esse mês, um ano após o crime, é possível ver que um homem vestindo bermuda preta, camisa azul e usando um boné amarelo, com uma arma na mão.

Publicidade
Publicidade

Ele invade a residência do aposentado que está sentado em um banco na varanda da casa.

O homem aponta a arma para cabeça do idoso e realiza inúmeros disparos seguidos contra ele. João Evangelista ainda tenta fugir e se esconder atrás de uma mesa de plástico, mas o homem continua atirando até que ele caia já sem vida no chão. Na época ficou constatado que dois criminosos teriam ido até a fazenda em uma motocicleta vermelha, e que o jovem que atirou era menor de idade, tinha apenas 16 anos.

Quase um ano depois do início das investigações ficou claro para a polícia que os dois criminosos, incluindo o assassino tinham sido contratados para realizar uma execução. Foram excluídas as hipóteses de assalto a mão armada, e de roubo seguido de morte. Surpreendentemente o que se descobriu é que quem tinha mandado matar João Evangelista tinham sido os seus dois filhos.

Publicidade

Acusados de comandantes do crime Suterlânio Pimentel Cruz e José Orlando Pimentel da Cruz, filhos do Gaguinho, estão presos desde o dia 24 de novembro deste ano. Orlando ainda foi indiciado por porte ilegal de arma. De acordo com o delegado responsável pelo caso, o motivo do crime teria sido uma briga pela herança do idoso, outras revelações ainda poderão ser feitas, uma vez que as investigações ainda não foram encerradas. O crime chocou a população do local, por se tratar de uma zona rural pequena e com poucos moradores. Ficaram todos bastante assustados com o assassinato bárbaro.

#Casos de polícia