Quais são os pré-requisitos para alguém ser um criminoso? Muita gente talvez imagina um homem forte, musculoso e alto. No entanto, a realidade mostra que as coisas nem sempre é assim. O que faz um bandido ter coragem de assaltar alguém acaba sendo mesmo uma arma, seja uma faca ou um revólver. Prova disso foi o que aconteceu em um hotel da capital de Minas Gerais, Belo Horizonte. Câmeras do estabelecimento mostram o momento que um criminoso invadiu armado o local. Até aí tudo bem, seria mais um #Crime comum, mas um fato inusitado acabou chamando atenção. O meliante, dessa vez, é de fácil identificação. Ele usava uma bota ortopédica no momento da ação.

Publicidade
Publicidade

Mesmo manco e pulando com uma perna só, ele conseguiu render o funcionário do hotel. O funcionário da recepção segue as normas de segurança, que é não reagir ao assalto. Afinal, um tiro efetuado pela arma do criminoso, poderia ser mais forte do que qualquer golpe. Curiosamente, o assaltante não estava sozinho. Outros dois homens faziam parte do grupo. Eles andavam normalmente. No entanto, mandaram o criminoso manco realizar a ação. Enquanto o funcionário da recepção era segurado pelo criminoso, os outros dois esvaziam o caixa da recepção. Em entrevista ao programa 'Cidade Alerta', da TV Record, o funcionário preferiu não mostrar o rosto, ou ter o seu nome identificado. Ele disse que estava sozinho, quando o homem apareceu e fingiu que era uma das pessoas hospedadas.

"Foi no momento em que eles me colocaram no balcão, sempre com a arma apontada em minha direção", explicou ele lembrando os momentos de terror ao lado do ladrão manco.

Publicidade

Os ladrões teriam solicitado para que as luzes da recepção fossem apagadas. O intuito era fazer as câmeras de segurança não os flagrarem, mas não deu tão certo. O homem da bota ortopédica, que está com ferimentos na perna, acabou sendo preso em casa. Ele foi identificado como Emerson e tem 28 anos. Emerson e os comparsas roubaram apenas R$ 170 e dois televisores. Os demais suspeitos ainda são procurados.