Os crimes de #Violência sexual continuam assustando o País e mulheres de todas as idades são vítimas de abusos, Porém, essa história teve um final bem diferente do que se está acostumado ver. O caso aconteceu na pequena cidade de Guanambi, que fica no interior da Bahia. Essa é uma típica cidade interiorana que já começa a apresentar um índice alarmante de violência, como tem acontecido com tantos outros municípios do interior por todo o Brasil. Na última terça-feira, dia 20, uma adolescente de apenas 13 anos sofreu uma tentativa de estupro, mas ela acabou matando o suspeito com várias facadas.

O caso espantou a cidade e se tornou assunto entre todo os moradores.

Publicidade
Publicidade

A menina de 13 anos estava na porta de sua casa, em bairro de casas populares na região de Massaranduba, na companhia de suas quatro irmãs, com idade entre 12 e 16 anos. Subitamente, chegou um homem, de 24 anos. Reinaldo Ferreira Ramos, como foi identificado, não é conhecido da família e já chegou agredindo as garotas e dando socos. Inclusive chegou a pegar uma cadeira que estava na porta da casa e a arremessou contra as meninas, de acordo com o relato das vítimas.

O ataque

A jovem de 13 anos estava na porta de sua casa, fazendo companhia para as irmãs, enquanto cortava carne. Quando o homem se dirigiu em sua direção, ela afirmou ter procurado se defender com a faca e desferiu vários golpes em Reinaldo Ferreira Ramos, que morreu no local.

As jovens foram agredidas e ameaçadas. Além de passarem por todo esse trauma, agora precisam provar na Justiça que a irmã matou o sujeito em legítima defesa.

Publicidade

Somente as crianças são testemunhas de tudo que aconteceu, pois no local não havia outras pessoas para servirem de testemunhas.

A Polícia Civil irá ouvir cada uma das testemunhas e saber o que cada criança viu. Todas elas também passaram por exames, de forma que possam comprovar que o assassinato do acusado foi em legítima defesa. Elas também receberão apoio psicológico para superarem o trauma vivido. As pais das meninas também serão ouvidos pela polícia. #Estupro #Crime