Uma história digna de romances policiais veio à tona nos últimos dias. Ela inclui o assassinato do embaixador grego no Brasil, cujo corpo sumido foi encontrado carbonizado. Os principais suspeitos são a viúva do diplomata e seu amante.

Em mais um capítulo da trama real, a Polícia Civil do Rio de Janeiro confirmou nesta sexta-feira (30) que o corpo encontrado no carro carbonizado no Arco Metropolitano é mesmo do diplomata Kyriakos Amiridis.

De posse desta informação chave, a Polícia Civil carioca pediu e a Justiça concedeu a prisão da esposa da vítima, Françoise Amiridis.

Além da brasileira, o suposto amante, Sérgio Gomes Moreira Filho, já estaria atrás das grades.

Publicidade
Publicidade

Ambos são apontados como coautores do assassinato, cuja motivação apontada é de #Crime passional.

Conforme apurou a reportagem do telejornal RJTV, a viúva procurou a polícia na última quarta-feira (28) para notificar as autoridades sobre o desaparecimento do marido, que é 31 anos mais velho. Ela relatou que Amiridis saiu da residência do casal, na cidade de Nova Iguaçu, na noite de segunda-feira (26), e não deu mais noticias. Ela ainda frisou que ele saiu sem dizer onde ia e utilizou um carro alugado.

No dia seguinte à comunicação do desaparecimento, a polícia localizou um veículo branco incendiado. Dentro dele estava um corpo, que após análises foi comprovado como sendo do diplomata. A perícia foi realizada pelo Instituto Médico Legal de Nova Iguaçu.

Conforme o RJTV, Sérgio, o suposto amante da viúva, teria chegado algemado à Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) na madrugada desta sexta-feira (30).

Publicidade

Ele estava acompanhado de seu advogado, que deixou a unidade policial por volta de 3 horas. Seu cliente ficou, mas a Polícia não confirmou sua prisão.

Françoise chegou na mesma delegacia pela manhã, levada por policiais. Aproximadamente 30 minutos após, os agentes acompanharam uma testemunha do crime, com um capuz preto para preservar sua identidade. Além destes três, a esposa de um outro suspeito de envolvimento no homicídio, identificado como Eduardo, também compareceu à delegacia.

#Casos de polícia