Mais um caso em que redes sociais, uma “sex tape” e má-fé reuniram-se para causar confusão. Até a polícia teve que interferir no caso par afastar a possibilidade de violência e investigar o assunto.

Uma moradora de 19 anos, da Região Oeste de Campo Grande, capital do estado de Mato Grosso do Sul, procurou uma delegacia de polícia depois que o namorado, que ela diz conhecer há cerca de quarenta dias, supostamente disseminou um #Vídeo do casal mantendo relações sexuais pelas redes sociais. Ela disse ter percebido, em certa ocasião, que ele estava filmando o ato deles e exigiu que ele apagasse parasse e apagasse a gravação. Ainda assim, no dia 29 de novembro, ela ficou sabendo de rumores segundo os quais o vídeo estava circulando pelo WhatsApp.

Publicidade
Publicidade

E, realmente, uma amiga da moça recebeu os vídeos e neles tanto o rapaz, que inclusive se exibe para a câmara, quanto a vítima, são facilmente identificáveis.

Duas vezes, a segunda delas na presença da amiga que recebeu os vídeos, a vítima perguntou ao namorado sobre sua responsabilidade na publicação das cenas de #sexo. Ele negou nas duas ocasiões e, na segunda vez, irritado, até mostrou uma arma para as duas moças, com o intuito de intimidá-las e dissuadi-las de continuar investigando o assunto. A vítima diz ter visto a arma no passado no porta-luvas do carro do acusado.

A vítima viu-se sem opção e registrou queixa do acontecido, que será investigado pela Delegacia da Mulher. Do Boletim de Ocorrência, constam tanto o fato de que o casal é identificável no filme quanto o pedido feito pela vítima de medidas protetivas para si, pois ela teme retaliação por parte do namorado depois de sua denúncia.

Publicidade

Embora se possa buscar punição para o rapaz, o que talvez sirva para desencorajar novas atitudes do gênero por parte dele ou de outros, boa parte do mal, infelizmente, já está feito e é irreversível, o que deve servir de aviso para que as pessoas tomem cuidados redobrados diante da possibilidade de compartilhamento desse tipo de vídeo ou fotos íntimas por parceiros mal-intencionados.