O crime aconteceu na manhã desta última terça-feira (27), um homem matou a ex-mulher a facadas na frente da filha do casal de apenas 8 anos de idade. Depois de matar a mulher, o autor do #Crime foi para casa e se enforcou. Antes de se suicidar, ele deixou um bilhete escrito à mão para os três filhos. O conteúdo do bilhete foi divulgado nesta quarta-feira (28), pela polícia.

O homem que cometeu o homicídio e em seguida o suicídio, era Darcir Berger, de 53 anos, a vítima de assassinato, era Rosália Carvalho da Silva, de 35 anos. Darci Berger estava preso e foi solto no dia 15 de dezembro. Ele havia sido preso no dia 12 de outubro deste ano, por tentativa de homicídio.

Publicidade
Publicidade

Ele teria tentado matar Rosália acertou um tiro na mão da vítima, pois não aceitava o fim do relacionamento.

O conteúdo da carta revelava o ciúme dele pela ex-mulher, ele primeiro reclamava do comportamento da mulher, chega a usar palavrões, e em seguida pede perdão aos filhos pela atitude: "O pai não tinha mais como viver". Ele afirma que um dia seus filhos o entenderia.

O casal já estava separado, e Rosália teria ido morar com mãe, o homem após ser solto retornou para casa que era do casal. A mãe de Rosália teria viajado em férias de final de ano, e Darcir aproveitou o momento e foi até a casa da ex-sogra. Ele bateu na porta e quando Rosália abriu, ele a atacou. Eles entraram em luta corporal e ele a esfaqueou. Mesmo com a mulher caída no chão ferida ele retorna e defere mais golpes de faca para ter certeza de que a vítima estaria morta.

Publicidade

Em seguida vai para casa e comete o suicídio.

De acordo com o delegado da Polícia Civil, o caso já foi elucidado, pois além do bilhete de despedida comprovando seu suicídio por enforcamento. As imagens gravadas pela câmera de segurança mostram claramente ele assassinando a facadas a vítima, na frente da criança que se desespera.

As imagens foram gravadas pela câmera de segurança da casa de um vizinho, que registrou toda ação.

Ao ser questionado da soltura do criminoso, já que o mesmo encontrava-se preso, o delegado afirmou que um juiz que deu um alvará de liberdade provisória ao homem. Que a polícia não sabe qual critério adotado pelo juiz, mas que a soltura deveria estar embasa em algum requisito judicial. Mas era um caso que chocava principalmente por ter uma criança que presenciou tudo.

#Investigação Criminal