A Igreja Batista da Lagoinha, localizada em Belo Horizonte, Minas Gerais, está envolta de muitas polêmicas recentes. A maior delas referentes ao chamado 'Funk Gospel', uma modalidade que seria usada para atrair jovens ao caminho de Deus. O caso ganhou notoriedade graças ao portal 'O Fuxico Gospel', que publicou um vídeo que mostra adolescentes fazendo uma dança extremamente sensual dentro da igreja. Para ter acesso as imagens, basta ir ao vídeo que está ao final dessa reportagem. De acordo com o portal que divulgou as imagens, a intenção da igreja é ter membros de todas as idades, mas nem todos os fiéis estão concordando com a forma como isso acontece.

Publicidade
Publicidade

Existe até a modalidade do 'Bate Cabeça Jovem', onde mulheres rebolam e disputam quem costumam mexer mais os cabelos durante a coreografia. As imagens também envolvem rapazes, mas são as garotas que parecem mais animadas no vídeo. Elas demonstram que realmente estão gostando do que estão a fazer em um dos salões da igreja. Algumas outras pessoas dizem não é bem assim e que na bíblia não está expresso que dançar é pecado. "A bíblia nos diz que não devemos julgar nem condenar ninguém. Se elas mandam bem na dança, quem são vocês para dizer se Deus aprova ou não aprova isso? Por acaso Deus pra vocês é um amiguinho imaginário que gosta e odeia o que vocês quiserem? Jesus pregou o amor", diz um dos internautas.

Já outros garantem que as igrejas acabam ficando corrompidas e que hoje fazem um ensinamento errado da palavra.

Publicidade

Certo mesmo é que boa parte das pessoas achou um ultraje o que viu. A igreja não foi procurada pelo portal que publicou as imagens. No momento da gravação, não estava existindo nenhum tipo de culto, como pode ser observado.

Veja abaixo o vídeo publicado pelo site 'O Fuxico Gospel' que está provocando grande polêmia nas redes sociais. Na sua opinião, o ritmo funk e a forma que se costuma dançar-lo podem ser considerados um pecado contra a igreja? Não esqueça de deixar o seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós.

#Religião