A #Polícia Federal, juntamente com a GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público de São Paulo), iniciou nesta sexta-feira (02) a Operação "Mamãe Noel". As investigações tiveram como alvo a cidade do interior paulista, #Ribeirão Preto, evidenciando a atuação da atual prefeita Dárcy Vera (PSD).

O nome da operação foi atribuído devido a uma ex-advogada da cidade que trabalhava no Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Maria Zuely Librandi, ela fazia o papel de uma verdadeira "mamãe noel", simplesmente desviando recursos da prefeitura de Ribeirão Preto para outras pessoas que também estão sendo denunciadas.

Publicidade
Publicidade

Isso aconteceu entre os anos de 2013 e 2016.

Essa operação faz parte da segunda fase da operação Sevandija que teve como objetivo apurar a cidade de Ribeirão Preto em desvios de dinheiro que chegaram em R$ 203 milhões. A operação "Mamãe Noel" foca em crimes de peculato, #Corrupção ativa e passiva, documentos falsos, além de falsidade ideológica e outras injustiças com a população. A prefeita Dárcy Vera foi presa devido a um pedido realizado pela Procuradoria Geral do Estado.

Desvio de recursos públicos

Os beneficiados pela fraude nos cofres públicos da prefeitura receberam cerca de R$ 5 milhões, durante a operação Sevandija acidentalmente a Polícia Federal descobriu a roubalheira, as investigações utilizaram interceptações telefônicas e observação na análise documentos, com isso, pilares foram construídos para que a decisão da prisão da prefeita fosse cumprida.

Publicidade

Na observação das interceptações telefônicas, a polícia suspeitou da prefeita devido a sua "irritação" e tons de ameaça contra vereadores. Esta operação gerou mandados de busca e apreensão, prisões preventivas e até bloqueio de bens foram realizados pela polícia.

A Polícia Federal também investiga pagamentos de propina para que honorários de advogados fossem liberados, o Sindicato dos Servidores Públicos conseguiu na justiça ganhar uma causa contra o poder público que envolvia o recebimento de R$ 800 milhões do Estado, isso aconteceu devido a utilização do Plano Collor.