Osmar Machado, pai do zagueiro Filipe, descobriu, no dia de seu aniversário, 29 de novembro, que seu filho era vítima de uma tragédia. Ele era uma das 71 vítimas que faleceram no avião da #Chapecoense, que levava atletas para a final da Sul-Americana. Nesta sexta-feira, 02, Osmar deu uma entrevista ao canal de esporte ESPN falando sobre o presidente da República, #Michel Temer, do PMDB. O peemedebista ainda é uma incógnita como presença no velório coletivo que acontecerá na cidade de Chapecó, no estado de Santa Catarina. A falta de Michel ao evento é comentada por canais de notícias desde cedo.

Por volta das 19h, no horário de Brasília, o canal de notícias Globo News disse que Temer estaria apenas no aeroporto, recebendo o cortejo dos corpos.

Publicidade
Publicidade

O peemedebista estaria evitando sua presença na Arena Condá, a fim de evitar vaias. Segundo Osmar Machado, o povo não vaiaria Temer, pois sabe da importância do momento. Além disso, não faria sentido ele ir ao aeroporto cumprimentar Michel apenas pelo fato dele ser presidente da República. Machado disse que o gestor do país precisa ter vergonha na cara e ir até à arena, onde acontecerá o velório.

Michel Temer já enfrenta uma onda de impopularidade. Mesmo com uma das maiores tragédias da década, ele foi alvo de um panelaço na quarta-feira, 30. Isso porque deputados votaram um projeto de lei que pode ajudar políticos corruptos. A votação aconteceu de madrugada, em um período que a imprensa estava dedicada a falar sobre a queda do avião de Medellín.

Mais atentos do que outrora, brasileiros de diversas partes do país bateram panelas.

Publicidade

Até mesmo Sérgio Moro condenou o que chama de desvirtuamento da classe política. Ele chegou a bater boca no Senado Federal com Lindbergh Farias, do Partido dos Trabalhadores (PT), do Rio de Janeiro. A discussão aconteceu depois que o apoiador da ex-presidente Dilma Rousseff insinuou que Moro deveria estar preso, caso a lei no Brasil fosse levada a sério. Lindbergh citou a gravação telefônica entre Lula e Dilma. Em seguida, falou que isso não ocorreria em países como os Estados Unidos.