A polícia de Belo Horizonte prendeu um pai e também sua filha, que viviam como casal e eles já tinham estuprado duas crianças, mas novos casos poderão aparecer agora que eles encontram-se detidos. Além de terem que responder na Justiça por manterem uma relação de incesto, o casal vai ter que se defender das acusações de pedofilia e estupro.

Warner Robert de Carvalho tem 45 anos e ele se juntou com a filha, Lidiane Fernanda Carvalho, que tem 27 anos. As investigações começaram no último mês de setembro, após a polícia receber a denúncia de uma garota de 14 anos. A menina contou que por diversas vezes ela foi abusada sexualmente pelo pai e a filha.

Publicidade
Publicidade

Ainda, de acordo com a adolescente, Fernanda vendia roupas íntimas e começou a fotografá-la usando as peças quando tinha apenas 11 anos. Só que depois de algum tempo, a mulher começou a fazer ameaças e ela foi abrigada a ir com o casal para motéis. Chegando lá, o pai e a filha abusavam da menor.

Após a denúncia, a Polícia Civil da capital mineira conseguiu um mandado de busca e apreensão e chegando à casa onde o pai e a filha moram, prenderam um notebook, além de tablet e também um celular onde foi encontrado conteúdo de pedofilia. As peças íntimas também foram levadas pela polícia. Isabella Franca de Oliveira é a delegada responsável pelo caso e contou que as crianças que aparecem nas fotos que estavam no celular já foram identificadas e deram depoimento, contando todos os detalhes de como eram abusadas pelo pai e a filha.

Publicidade

Carvalho não conhecia sua filha e assim que eles se encontraram já começaram a manter relações sexuais. Depois de um tempo, a filha passou a ter contato com crianças que depois eram aliciadas e participavam de encontros sexuais onde eram abusadas pelo pai e a filha.

Depois da prisão do casal, um jovem de 12 anos foi até a delegacia relatar que foi vítima dos dois. Pai e filha agora irão responder por #Estupro, estupro de vulnerável e também por produzirem material pornográfico envolvendo menores.

A polícia acredita que novas vítimas poderão aparecer nos próximos dias para denunciá-los. #Pedofilia #Casos de polícia