Os parentes dos 19 atletas do time #Chapecoense que morreram no trágico acidente em Medellín, na Colômbia, têm direito a receber duas indenizações, que somadas podem chegar a 26 vezes os vencimentos que os atletas recebiam no clube. Nesse valor está incluído um seguro de vida da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), que é de 12 vezes o salário no registro em carteira de trabalho, não podendo ultrapassar o teto máximo de $ 1,2 milhão por jogador. O outro seguro de vida foi contratado pela direção da Chapecoense e dá direito a 14 vezes os vencimentos dos jogadores. Os salários dos jogadores do time de Chapecó eram de R$ 20 mil e R$ 100 mil mensais.

Publicidade
Publicidade

O seguro de vida contratado para jogadores é com base na Lei Pelé e todos os times do Brasil são obrigados a contratar uma seguradora, comentou Gelson Costa, vice-presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense

O pedido para receber o seguro de vida só poderá ser iniciado quando os corpos dos jogadores chegarem ao Brasil e forem feitos os tramites legais para o sepultamento. A diretoria da Chapecoense está agilizando os documentos necessários para poder concluir os trâmites no menor tempo possível. Segundo Gelson, o clube já está se mobilizando e espera que os familiares possam receber a #indenização o mais rápido possível. ‘Essa é uma forma de amparar a todos os parentes’, completou.

A diretoria do clube está ajudando no acompanhamento psicológico das famílias e amigos das vítimas do trágico #Acidente, que incluem jogadores, membros de comissão técnica e funcionários do clube.

Publicidade

Gelson Costa disse ainda que o time vai disponibilizar os translados dos corpos para onde os familiares quiserem sepultar seus entes queridos.

O seguro também cobre os jogadores que sobreviveram à tragédia, em caso de invalidez. É uma importante ajuda financeira, inferior aos casos de morte, mas que pode auxiliar os jogadores nesse momento de tristeza.

Causa da queda

As investigações sobre as causas da queda do avião que transportava o time da Chapecoense estão em fase inicial, mas já é possível concluir que a principal foi a pane seca por conta da falta de combustível.