Nessa semana, uma história começou a ser divulgada amplamente nas redes sociais e por portais de notícia local do Tocantins. Um cão da raça pitbull teria ficado uma fera, ao perceber que sua casa, localizada na cidade de Paranã, estava sendo assaltada. O ladrão, que já seria conhecido na região, e que usa o apelido de 'Dezim', pulou o muro da residência, que era resguardada pelo animal. Acredita-se que ele tinha o intuito de roubar a casa, como já teria acontecido com outras casas da região.

O cachorro então o expulsou do local, dando muitas mordidas nele e deixando o criminoso em uma situação grave de saúde. Os ferimentos teriam acontecido em todo o corpo do bandido.

Publicidade
Publicidade

A história, compartilhada até mesmo em páginas de sindicatos de policiais e bombeiros, não termina aí. Apesar de dar um ar de que tudo pode ser um "boato", a informação continua e a segunda parte dela é que está chocando ainda mais as pessoas.

O bandido conseguiu fugir do local, mas teve que ir para um pronto socorro da região. Na unidade de saúde, ele acabou chamando a atenção dos médicos e a polícia o reconheceu. Dezim teria sido detido pelos agentes da lei. O criminoso então contou o que fez, mas negou que quisesse roubar a residência. Segundo ele, ao ver uma pipa em um fio elétrico, ele jogou o seu chinelo, que acabou caindo no quintal do vizinho. Ele então decidiu pegar o acessório e acabou sendo surpreendido pelo cachorro, que o mordeu várias vezes.

As informações são de que, após o depoimento, como não houve flagrante, o bandido foi solto e já estaria pronto para realizar novos crimes na região.

Publicidade

Um juiz local, no entanto, ao saber que o cachorro havia mordido o homem, teria ordenado o sacrifício do animal. O fórum local nega que isso tenha acontecido, mas o dono do bicho, Edivaldo Chagas, explicou o comportamento do pitbull no momento do ataque. Ele diz que o pitbull sempre foi muito calmo e que agora estaria no canil da cidade. Ele tenta recuperar o bicho, que ainda estaria vivo, após a suposta decisão judicial. #Crime #Investigação Criminal