A Policia Civil informou nesta quinta-feira (1º) que prendeu os dois suspeitos de terem queimado vivo um homem que sofria de esquizofrenia. O crime aconteceu em julho desse ano no Parque Amazonas, em Goiânia. O delegado responsável pelo caso falou sobre o #Crime e revelou que foi um motivo banal que deu origem ao acontecido.

Os dois homens que foram detidos pela Polícia são Wallison Victor de Souza, de apenas 18 anos, e Johnathan Pereira da Silva, de 29. Eles são amigos e se juntaram para realizar esse crime macabro de que são acusados.

Segundo revelou o delegado Danilo Protto, os dois homens entraram na casa da vítima, um doente esquizofrênico de nome Jorge Ribeiro de Souza, e agrediram-no com violência.

Publicidade
Publicidade

Johnathan é acusado de ter golpeado a vítima com um facão e de lhe ter jogado álcool em cima. Em seguida, Wallison, que já estava com um fósforo na mão, acendeu o mesmo e atirou-o em cima de Jorge Souza, que acabaria por falecer depois de ter corrido cerca de 100 metros com o corpo em chamas.

O responsável pela investigação informou que o crime foi motivado por acontecimentos banais. Wallison Victor de Sousa estava morando na região há pouco mais de mês e já tinha um historial de desentendimentos com Jorge Souza. Ao que consta, a vítima fazia barulhos altos e dizia ofensas e palavras sem sentido, atos justificados por ser um paciente de esquizofrenia. No entanto, Wallison não entendeu assim e contatou Johnathan, seu amigo, para juntos cometerem o crime.

Depois do crime, ambos os suspeitos se colocaram em fuga.

Publicidade

Wallison fugiu para a cidade de Americana, no estado de São Paulo, enquanto Johnathan decidiu esconder-se em Goiânia.

A polícia conseguiu apanhar Wallison em setembro no interior de São Paulo, enquanto Johnathan foi preso mais tarde, no dia 21 de outubro em Goiânia. Danilo Protto informou que os dois entretanto confessaram o crime e justificaram o mesmo por não aguentarem os barulhos que a vítima fazia.

Agora vão responder por homicídio qualificado, um crime que tem como pena máxima 30 anos de prisão.

O que você acha sobre mais esse crime? Acha que a justiça vai funcionar nesse caso? Escreva a sua opinião nos comentários! #Casos de polícia