O programa Fantástico, da Rede Globo, entrevistou #Erwin Tumiri, boliviano e um dos seis sobreviventes do #Acidente da Chapecoense.

Foi na tarde deste último domingo, dia 4, que o repórter do Fantástico foi ao hospital em Cochabamba, na Bolívia, para conversar com o técnico do avião da Lamia, Erwin.

Erwin fala sobre o acidente

Erwin ainda não tinha o vídeo que mostra os momentos em que ele acordou e lutou pela própria vida. Na gravação está o técnico do avião ainda em estado de choque e tentando salvar os amigos da tripulação do voo.

"Eu acordei e pensei o 'que aconteceu aqui?' Eu peguei minha lanterna e comecei a pedir socorro, comecei a piscar a lanterna para que me vissem e me ouvissem", contou Erwin.

Publicidade
Publicidade

Ao acordar e perceber o que estava acontecendo, ele começou a gritar pelos nomes dos amigos e percebeu que a comissária estava viva, quando foi em sua direção e disse "vamos embora daqui".

Eles estavam no meio do mato, mas de onde estavam ele conseguia enxergar os aviões voando e Erwin queria ir até o aeroporto pedir ajuda.

"Eu vi muitos corpos espalhados, mas não tinha o que fazer porque ninguém parecia vivo e eu estava preocupado se o avião explodiria", contou sobre a tragédia.

Antes de cair o avião, Erwin conta que nenhum aviso foi dado sobre o que estava realmente acontecendo. Ele disse que apenas mandaram afivelar os cintos porque o avião iria pousar e então começou uma vibração. "Eu achei que era uma vibração normal, depois disso eu não me lembro de mais nada", lamentou.

Além da ausência do aviso sobre o que acontecia, Erwin conta que recebeu a informação de que a aeronave seria abastecida antes do destino final, então ele achava que o avião iria parar para abastecer, quando na verdade o aivão iria direto para Medellín.

Publicidade

"Eu supus que eles soubessem o que faziam", contou. "Eu acho que pode não ter sido uma boa ideia do piloto ou da pessoa responsável por isso, eu acho que a tripulação teria que ser tudo, todo mundo deveria saber as decisões tomadas e não acontecer da forma como foi", complementou.

Quanto aos boatos de que ele teria se salvado por ter ficado em posição fetal para evitar morrer, Erwin nega e diz que não sabia que o avião estava caindo, então ele não chegou a se preparar para o acidente. "Eu nem havia falado com a imprensa antes, esta é a primeira vez", explicou.

Ele também fala sobre os seus planos para o futuro: "Eu vou continuar com o meu trabalho e continuar me preparando para não deixar de voar, quero terminar meu curso de pilotagem", contou.

Erwin ainda disse que um dia quer ir para Chapecó: "Um dia eu quero ir pra Chapecó e conhecer a cidade, porque eu sinto como se tivesse sido salvo por eles, como se eles tivessem dado a vida pela minha", falou Erwin sobre a tragédia. #chapeco