Enquanto a Policia Federal (PF) realizou buscas nas gráficas que prestaram serviço de produção de material de campanha da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e de seu ex-vice e atual presidente Michel Temer (PMDB) por supostos desvios de verba, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Herman Beijamin, autorizou a quebra de sigilo fiscal de 15 pessoas ligadas à campanha da chapa vencedora do pleito presidencial de 2014.

Autorizada no último dia 16 de dezembro, as buscas da PF foram realizadas nesta terça-feira, dia 27, em 20 endereços dos estados de São Paulo, Santa Catarina e Minas Gerais. Profissionais ligados à campanha terão suas contas investigadas como parte da operação do Ministério Publico que busca averiguar supostos desvios do caixa de campanha para outras finalidades além da propaganda eleitoral acordada nas leis nacionais.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações do portal UOL, a defesa de Dilma afirmou que só se manifestara apos consultar os autos da decisão judicial. Respondendo pela parte de Temer, o Planalto e o PMDB não deram declarações ao portal, alegando pausa devido ao recesso de final de ano. #Dilma Rousseff #Michel Temer #Polícia Federal