Assuntos religiosos sempre provocam polêmica. Não faltam vídeos, fotos e notícias em que líderes de igrejas são acusados de promover o famoso charlatanismo, um crime que é até tipificado em lei, em que se promete coisas impossíveis em nome de Deus ou outra entidade. Um dos pastores mais conhecidos do Brasil, o Apóstolo Valdomiro Santiago, por exemplo, nessa semana passou a ser acusado de promover um falso milagre. Tudo começou por conta de um vídeo publicado no último dia 12 no Youtube. Nele, o representante da Igreja Mundial do Poder de Deus estaria realizando um culto no Paraguai, onde também é conhecido.

Ele então diz estar avistando um homem que precisa muito de um milagre.

Publicidade
Publicidade

De repente, com uma bengala nas mãos, um senhor que estava em meio à multidão, aparece e começa a subir as escadas do palco, no qual Valdemiro já pregava. O senhor se diz muito emocionado. O pastor então pergunta há quanto tempo ele não vê. O homem responde que uma doença o tirou a visão há quatro anos. Em seguida, o suposto cego passa a mão no rosto do religioso e diz que está vendo o seu rosto. "Você voltou a ver? Isso é uma benção. É um milagre de Deus", diz o pastor no vídeo que acabou provocando muita polêmica nas redes sociais.

É claro que a emoção do momento tomaria conta de uma multidão. O canal de TV que exibia tudo fez questão de exibir vários rostos, que apresentavam lágrimas escorrendo. Santiago então deu um abraço naquele senhor que, segundo ele, deixaria de ser cedo a partir daquele momento.

Publicidade

No entanto, o fiel acabou cometendo uma gafe, que para alguns internautas, prova que a ação era combinada. "Eu assisto o senhor vinte e quatro horas por dias, pastor", disse ele surpreendendo o líder da Igreja Mundial. Rápido, Valdemiro tirou o microfone da boca do fiel e disse: "Você me ouvia o dia todo, né? Agora vai poder me ver também".

Veja abaixo o vídeo que mostra o suposto milagre a um cego, que acaba induzindo a acreditar que ele já enxergava antes do encontro com o pastor conhecido:

#Religião