Nesta quarta-feira, 30, o vidente Carlinhos esteve no 'SuperPop', programa apresentado por Luciana Gimenez, na RedeTV!. Ele foi à atração para comentar a tragédia com o avião do time da Chapecoense. 71 pessoas morreram na queda. Seis sobreviveram. Pelo menos quatro ainda aguardam ordens médicas para serem liberados. Carlinhos falou também o que seriam novas previsões bombásticas.

Mais comedido que o de costume, ele pediu desculpas às famílias das vítimas, por ter sido ele o porta-voz da tragédia que matou um time inteiro, comissão técnica e mais vinte e um jornalistas. Em seguida, disse que a situação política se pioraria no Brasil. O país já vive uma das crises mais longas de sua história. Alguns analistas já dizem que a situação do país hoje é pior do que a da década de 1990, na era Collor, e também de 1980, quando houve a super-inflação e preços mudavam o tempo todo.

Publicidade
Publicidade

Segundo Carlinhos, #Michel Temer "não vai segurar a marimba" e assim como aconteceu com a ex-presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), vai deixar o governo. No caso do peemedebista, ele não sofreria um impeachment, mas sim pediria renúncia. Carlinhos surpreendeu ainda mais, ao revelar que isso aconteceria até o mês de abril do ano que vem. Lembrando que Michel Temer tem mais dois anos e um mês de mandato, que teoricamente terminaria apenas no final de 2018. Caso a renúncia fosse agora, quem assumiria o governo seria o presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia, do Democratas.

Ainda estão na linha de sucessão Renan Calheiros (PMDB) e a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministra Carmen Lucia. É preciso lembrar que nessa semana já começaram os panelaços contra Temer.

Publicidade

Durante a madrugada, justamente no dia que o país chorava a morte dos jogadores da Chapecoense, houve uma votação que está sendo considerada a favor da corrupção. Michel também teve recentemente problemas com seu ex-Ministro da Cultura, Marcelo Calero, que fez áudios pedindo sua demissão e se disse pressionado.