“Eu sou do Bonde Mete Bala. Se vacilou tomou na cara. Essa é a lei da facção. Corra, mate, não teme. Mete bala na PM. Levanta e pega o fuzil. Mete bala na civil. Levanta, corre, não teme. Mete bala na PM. Não mexa comigo metido a bandido, que eu sou do bonde Mete Bala. Se vacilou tomou na cara”.

Com essa música repleta de incitações de ódio a policiais militares e civis, o artista do vídeo acabou bastante encrencado. Ele gravou um vídeo em que canta efusivamente, com performance caprichada, um funk do tipo ‘proibidão’.

A música de mau gosto, intitulada Bonde Mete Bala, exalta o crime e as facções que usam ataque a tiros a agentes civis e militares como método de trabalho.

Publicidade
Publicidade

No fim da performance, o artista das ruas ainda dá os créditos da “obra-prima”:

“Essa música é de Rodrigo Vem Com a Firma. Segura que o bonde tá quente. Vai pra cima ladrão”, finaliza animado.

O vídeo foi para as redes sociais e dois dias depois o protagonista metido a bandido esperto acabou se dando mal. Ele foi identificado e preso por policiais militares. Na delegacia acabou tendo de se retratar publicamente.

Os agentes foram à forra. Filmaram o bonitão em situação completamente diferente do animado show de funk. “Pede desculpas para os policiais”, manda o policial que grava o outro vídeo. E o cantor responde que já pediu. “Pede de novo agora”, insiste o PM.

E com o ‘rabo entre as pernas’ o artista obedece, em tom de arrependimento. “Polícia Militar, pessoal da Rotam, eu gravei um vídeo aí ofendendo a corporação.

Publicidade

Estou pedindo desculpa agora”.

Um vídeo com os dois momentos do MC, cujo nome não foi divulgado, está correndo a internet e já é sucesso de audiência.

Em apenas uma das páginas no Facebook que compartilharam o conteúdo, o post já alcançou mais de 45 mil visualizações e 180 compartilhamentos.

Entre os comentários que acompanham a publicação, a maioria das pessoas opina que esta foi uma lição bem dada para o postulante a MC do #Crime. Outros acabam se igualando ao cidadão, registrando mensagens cheias de ofensas e incitações à violência.

#Investigação Criminal