Um estupro foi registrado na sexta-feira 30 de dezembro, na rua Buraco de Afonso, no bairro do Nordeste 1, na cidade de Guarabira, cerca de 98 km da capital João Pessoa, na Paraíba (PB). A vítima é um adolescente identificado como, Bruno, de 15 anos, que morreu no sábado 31, em uma unidade médica da cidade, após ter ingerido veneno usado para matar ratos. O acusado foi identificado como Severino do Ramos França Santos, de 24 anos, mais conhecido como “Hino”, que é padrasto da vítima.

Segundo informações repassadas pela polícia, a mãe do garoto foi até a casa de uma vizinha à noite, para ajudá-la a preparar a festa de comemoração de Ano Novo.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, a mulher disse para o acusado que ia demorar a voltar para a residência. Ainda, de acordo com a polícia, houve um imprevisto e a mãe da vítima teve que voltar para casa, alguns minutos depois. Quando a mulher abriu a porta, a mesma flavrou o seu esposo violentando sexualmente o filho.

De acordo com informações de vizinhos, a mãe do jovem, ao ver o seu filho sendo abusado, foi até a cozinha e pegou uma faca, em seguida tentou esfaquear o suspeito, mas o mesmo teria lhe empurrado e conseguiu fugir do local tomando rumo ignorado. No entanto, na manhã de sábado, a mulher foi até a delegacia da cidade registrar um Boletim de Ocorrência contra o esposo, relatando que o mesmo teria abusado sexualmente de seu filho, e que, o acusado fugiu do local logo após cometer o #Crime.

Entretanto, quando a mãe do jovem voltou para a sua residência, a mesma encontrou o seu filho chorando e relatando que tinha tomado veneno de rato, pois o mesmo estava com medo do acusado voltar e matá-lo e acrescentou que estava com muita vergonha de ter sido violentado sexualmente pelo padrasto, há mais de 5 anos. O socorro foi acionado e quando os socorristas chegaram ao local informado, o jovem foi levado às pressas para uma unidade médica, mas não resistiu e morreu horas após de dar entrada no hospital.

Publicidade

O caso está sendo investigado pela polícia da cidade. O autor do crime está foragido da Justiça. #Investigação Criminal #Casos de polícia