Um policial civil foi assassinado com um tiro na cabeça por um bandido dentro da Delegacia de Homicídios e Entorpecentes, na manhã do último domingo, dia 29, em Patos, na Paraíba.

De acordo com informações de policiais que estavam no local, o bandido preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), neste sábado, estava sendo ouvido pelo Delegado Diego Beltrão na sala, quando teria tomado uma arma que estava em cima da mesa e atirou contra o Agente Civil Klauss Cruz de Lima, 35 anos, que ia entrando na sala no momento.

O tiro atingiu a cabeça do policial que morreu na hora. Os colegas reagiram e chegaram a atirar contra o assaltante de banco que foi levado em estado grave para o Hospital Regional de Patos e acabou morrendo logo em seguida.

Publicidade
Publicidade

O seu comparsa que não teve o nome revelado, não foi atingido pelos disparos e saiu ileso. O bandido foi identificado como Emerson Benedito Dias.

Os dois bandidos que foram presos pela PRF são considerados assaltantes perigosos de banco do sul do país. Policiais informaram que o bandido estava algemado no momento do crime com as mãos para frente. A ação foi rápida e intempestiva e pegou todos de surpresa. Porém, a assessoria de Imprensa da Secretaria de Segurança Pública ainda não confirmou a versão dos fatos.

Ainda não foi informado quem estava na sala do delegado no momento do crime nem tampouco a versão oficial para os fatos. A Secretaria de Segurança Pública não confirmou se a arma era a do delegado que estaria em cima da mesa.

O local foi isolado pela Polícia. Rapidamente vários policiais chegaram ao local sem acreditar no que tinha ocorrido.

Publicidade

Uma equipe do Instituto de Polícia Cientifica esteve no local para fazer o trabalho inicial.

O delegado Diego Beltrão, ainda bastante abalado, informou que não vai se pronunciar no momento, bem como o Delegado Seccional Sylvio Rabello.

Klauss deixa esposa e três filhos menores de idade. Seus colegas afirmaram que perderam um amigo, mas acima de tudo, um excelente profissional. Eles ainda estão sem acreditar na tragédia.

A assessoria da secretaria também destacou que a arma que o preso usou para atirar não era a do agente que foi morto e que o policial não foi desarmado. A assessoria também não confirmou se o preso estava algemado no momento.

O caso ocorreu por volta das 10h30 (horário local) e até 14h25, o Instituto de Polícia Científica (IPC) continuava dentro da delegacia fazendo uma perícia com o corpo do policial. O corpo do preso foi encaminhado para o Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol). #atenção #bandidotomaarmadepolicial #usodealgemas