Não é mais dúvida para ninguém que a violência está vitimando os cidadãos de bem deste país e fazendo com que as pessoas fiquem cada vez mais temerosas a qualquer hora do dia de serem assaltadas ou mesmo mortas nas mãos dos malfeitores. A notícia trágica vem da cidade de Umuarama, no estado do Paraná, onde dois jovens suspeitos pela tortura e assassinato do adolescente Guilherme Sela, de somente 16 anos de idade, tombaram fatalmente em confronto com o Pelotão de Choque da Polícia Militar na manhã do dia 5 de janeiro. Tudo aconteceu quando a equipe de policiais fazia o trabalho de patrulha e, ao avistar a dupla, pediu para que ficassem onde estavam.

Publicidade
Publicidade

Os homens não só não obedeceram como dispararam contra os agentes da lei.

Por sua vez, a Polícia Civil informou a todos que os dois suspeitos estavam foragidos no interior de um matagal, bem próximos de um loteamento na localidade. Os mesmos não portavam nenhum documento de identificação. Com os agressores da polícia, foram encontradas duas pistolas calibre 380, sendo que, posteriormente, os corpos foram carregados ao Instituto Médico Legal da cidade em questão.

O crime covarde

Na noite de 4 de janeiro, em torno de 23h, o corpo do adolescente Guilherme Sela, que era um dos filhos de um policial militar, foi localizado em uma estrada rural paralela à rodovia PR-323, onde existe um frigorífico atualmente fechado. Os ladrões não ficaram satisfeitos de só levar diversos itens e objetos eletrônicos da residência assaltada, mas sequestraram o menino no bairro Parque Cidade Jardim.

Publicidade

De acordo com informações, o garoto foi morto a facadas, mas antes foi torturado e teve uma de suas orelhas cortada.

O carro da família foi utilizado para a fuga. Em torno das 23h, os assaltantes se meteram em um acidente de trânsito na PR-323, logo a frente do conhecido Parque de Exposições.

Um detido

Um rapaz de 19 anos foi detido querendo entrar no Parque de Exposições na noite de quarta-feira, sendo que o mesmo já tem passagem por homicídio, crime esse praticado quando ele era menor de idade.

Por ocasião da prisão, os policiais desconheciam que o jovem Guilherme Sela tinha sido assassinado, mas, em pouquíssimo tempo, a PM recebeu a notícia da mãe de Guilherme que o menino havia sumido – a mãe estava em uma praia no Estado de Santa Catarina com o irmão da vítima. O pai policial do menino estava trabalhando em uma cidade próxima, tendo ficado Guilherme sozinho. #Justiça #Crime #Casos de polícia