Um bebê de apenas três meses precisou passar por uma cirurgia delicada para fazer a retirada de agulhas de seu corpo. A #criança é uma provável vítima de um ritual #Macabro e de maus-tratos cometidos pelos próprios pais. Ele está hospitalizado na Santa Casa de Rondonópolis há 26 dias, na UTI – Unidade de Terapia Intensiva.

A equipe médica tem feito o acompanhamento do bebê desde a sua internação. Os médicos estudavam o melhor momento para que fosse realizada a intervenção cirúrgica e conseguiram realizar o procedimento retirando quatro agulhas do corpo do bebê.

Foram inseridas no corpinho da criança agulhas de metal. Ele tinha três na cabeça e uma na barriga.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações divulgadas através de um boletim médico nesta sexta-feira (06), uma agulha foi retirada do ouvido através de uma cirurgia. O estado clínico da garotinha é estável, pois ela vem apresentando uma boa evolução durante todo o tratamento.

A menina respira normalmente, sem a ajuda de ventilação mecânica, consegue se alimentar e movimenta normalmente. Ela está na unidade de terapia intensiva desde o dia 13 do mês de dezembro. De acordo com os profissionais, o bebê está passando por um tratamento contra uma infecção no sistema nervoso central. Especialistas vêm fazendo o acompanhamento da criança e ainda não existe nenhuma previsão de alta.

Entenda o caso

O caso aconteceu no município de Jaciara, localizado há aproximadamente 148 Km de Cuiabá. A menina deu entrada no hospital municipal e a equipe que fez o atendimento suspeitou de maus tratos.

Publicidade

Eles fizeram a denúncia ao Conselho Tutelar do município.

Quando chegou no hospital, a criança chorava bastante e tinha vários hematomas na cabeça. Já constava no seu prontuário médico que duas semanas anteriores, ela já havia estado na unidade com cortes nos pés.

O delegado responsável pelas investigações disse que nenhum dos suspeitos admitiu que participaram do ritual macabro.

Foram presas temporariamente quatro pessoas e uma foi apreendida por ser menor. Entre os suspeitos estão os próprios pais da vítima, Wellinton de Jesus, de 28 anos, pai da criança, e a mãe, de 17 anos.

A principal suspeita é que o pai da criança tenha submetido à filha a esse ritual para poder receber a quantia de R$ 250. #Crime