Nesta sexta-feira, 6, mais uma rebelião aconteceu em um presídio do Norte do Brasil. Dias depois à barbárie em Manaus, no Amazonas, foi a vez de um presídio de Roraima registrar cenas inacreditáveis. 33 pessoas foram mortas. As cenas de selvageria mais uma vez impressionaram. Alguns detentos tiveram seus corações arrancados e também as cabeças decapitadas. Vídeos que foram gravados pelos agentes da lei, que tentavam controlar a situação, acabaram sendo divulgados na internet. Nem todos podem ter sua autenticidade desmistificada. No entanto, um em especial foi publicado por alguns sites neste sábado, 7. Ele mostra o que seriam policiais do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar, o Bope, invadindo o presídio.

Publicidade
Publicidade

Conhecido pelo filme 'Tropa de Elite', o Bope aparece dando tiros de bala de borracha nos detentos. A situação é para obrigá-los a irem de uma ala a outra do presídio, onde haveria menos risco dos presidiários fugirem. Desde o massacre do Carandiru, em 1992, a polícia tem mais cuidado ao invadir presídios, até mesmo se for para controlar uma rebelião. Naquele ano, o presídio de São Paulo teve 111 mortos. Agora, existe uma negociação antes dos policiais entrarem. Mesmo assim, muitos presos não aceitam a entrada dos PMs e oferecem resistência. Pelo menos cinco estados brasileiros estariam em alerta após o que aconteceu em Roraima. Muita gente tem medo que a população em si seja afetada pela crise.

Veja abaixo o vídeo que mostra policias atirando em presidiários dentro de uma cadeia brasileira.

Publicidade

Atenção, as imagens são consideradas fortes por alguns leitores. Por isso, caso tenha algum problema, não prossiga. Os tiros, aparentemente, foram disparados com balas de borracha, que apesar de machucar, costumam não serem letais. Na sua opinião, o batalhão forte da polícia agiu certo ao efetuar os tiros para tentar apaziguar a rebelião em meio à barbárie de Roraima? Não esqueça de deixar o seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós e ajuda a criar diálogo sobre o tema.

#Crime