Um homem, de 46 anos, assassinou o filho, a ex-mulher e mais dez pessoas no momento da virada do ano. O caso aconteceu na cidade de Campinas, em São Paulo. O assassino foi identificado como Sidnei Ramis de Araújo. Algumas fotos (como a da reportagem) foram divulgadas por sites de notícias e mostrariam como ficou o ambiente do #Crime após o atentado. Após fazer os assassinatos, o homem cometeu o suicídio. Sidnei aproveitou os barulhos dos fogos para realizar os atos. Algumas vítimas estavam na cama, no momento em que tudo aconteceu. Além dos mortos, outras pessoas ficaram feridas nos disparos e foram levadas para o Hospital das Clínicas.

O que teria motivado o atentado, segundo informações da PM, foi o fato de Sidnei não aceitar a separação da ex-mulher.

Publicidade
Publicidade

No entanto, apesar de ser um homem estourado, ninguém jamais imaginou que ele seria capaz de cometer tamanha atrocidade, trazendo uma notícia tão grave para o ano que mal começou. O que ninguém entendeu tão bem é a diferença nesse crime passional. Isso porque, geralmente, o criminoso ataca apenas a mulher que ama. Nesse caso, no entanto, a ação criminosa atingiu todos os membros especiais da família da mulher, inclusive, o filho do casal. Aos poucos, os nomes das vítimas vão sendo identificados.

Além de matar todos, o homem não queria saber de ser preso. Ele deixou uma carta suicida na qual chamava a ex-companheira de vadia e que estava matando ela para ter algum tipo de dignidade. Ele chega a culpar o movimento feminista pelo crime, que, sem dúvidas, entrará para um dos fatos mais importantes do ano.

Publicidade

Segundo a PM, a comemoração e festejos de Ano Novo aconteciam próximo ao Shopping Unimart. O caso levou pânico à região. Muita gente descobriu apenas que houve um crime quando a polícia chegou.

Veja abaixo o vídeo que mostra uma chamada da Globo News sobre o atentado a tiros que ocorreu em São Paulo. Na sua opinião, o que pode ter feito este homem tomar tal atitude? Deixe seu comentário. Ele é sempre importante para todos nós.