A vida realmente é um bem precioso, mas que pode se tornar raro ou facilmente de ser destruído. Nessa semana, um dos músicos mais conhecidos do Norte do Brasil, Hamiraldo da Matta, teve seu corpo encontrado sem vida por policiais. A informação foi confirmada pelo site 'Amazonas Notícias'. Segundo a publicação, Hamiraldo estava com quarenta e nove anos e ele é apontado como o principal suspeito de provocar a própria #Morte. O motivo é que os agentes da lei veem o suicídio como o modo mais provável para que a morte seja explicada. No entanto, o corpo passou por uma perícia no Instituto Médico Legal (IML) de Manaus, no Amazonas, onde no futuro um laudo definitivo deve dizer como ele é morreu.

Nas redes sociais, amigos e família comentam a morte do artista que toca ritmos folclóricos locais.

Publicidade
Publicidade

"Impossível acreditar que você possa ter feito isso", disse um amigo. "Que triste uma pessoa totalmente alegre e brincalhona que era o Hamiraldo. Só acreditei porque fui ver. Mas a vida tem dessas coisas, com certeza ele teve um momento de fraqueza e cometeu essa loucura. Muito triste", completou outro em sua timeline.

Abaixo, o leitor pode ver uma foto do artista feita para a divulgação de seu trabalho:

Hamiraldo cantava músicas regionais do Norte do Brasil, em festas como o Bumba Meu Boi. No ano de 2015, por exemplo, ele foi uma das grandes atrações da festa dos bois Garantido e Caprichoso. O músico já teve o seu enterro realizado nesse semana, segundo os seus amigos próximos disseram nas redes sociais.

Vídeo com apresentação importante

Abaixo o leitor pode assistir a um vídeo que mostra a apresentação do músico em um dos eventos mais importantes do Norte do Brasil.

Publicidade

Na sua opinião, caso os legistas confirmem que o músico realmente se matou, o que pode ter levado alguém a tomar uma atitude como essa? Apenas a tristeza profunda ou uma depressão forte seriam suficientes para explicar uma medida tão drástica? Não esqueça de deixar de deixar sua mensagem. Ela é sempre muito importante para todos nós.