O governo federal anunciou, na tarde desta última segunda-feira (9), uma medida que prevê a liberação de presos em regime de prisão provisória, para desobstruir o atual sistema carcerário e oferecer vagas para os detentos que já foram condenados. Outra medida anunciada pelo governo refere-se ao ''Plano Nacional de Segurança'', que prevê a construção de um presídio federal no Rio Grande do Sul, onde serão remanejados presos envolvidos em esquemas de corrupção.

Mas, enquanto os pacotes de medidas do governo não saem do papel, o promotor de Justiça, Deltan Dallagnol, responsável por coordenar a força tarefa da #Operação Lava Jato, postou um comentário no último domingo (8), em sua página do Facebook, onde faz críticas às medidas anunciadas pelo Ministro da Justiça, Alexandre de Morais.

Publicidade
Publicidade

Segundo Dallagnol, tais medidas poderão colocar todos os presos da Operação Lava Jato em liberdade. Ciente da publicação, Alexandre de Morais emitiu um comunicado à imprensa garantindo que os presos em regime provisório da Operação não serão beneficiados pelo Plano Nacional de Segurança.

Alexandre de Morais explicou que, nos próximos dias, o Ministério da Justiça pretende organizar um mutirão de audiências em parceria com defensores públicos. Na ocasião, será criada uma força-tarefa, com o objetivo de averiguar custódias de detentos provisórios e avaliar se eles poderão ser soltos ou não. De acordo com o Ministério da Justiça, serão excluídos do mutirão, presos indiciados por porte ilegal de arma, tráfico de drogas e presos indiciados pelos crime de corrupção passiva e ativa.

As autoridades explicam que, no presídio onde ocorreu a chacina, do dia (1) de janeiro, dos 100 detentos que foram assassinados, 56 estavam em regime provisório.

Publicidade

Agora, cada caso será avaliado por juízes e promotores que, juntos decidirão, quais detentos permanecerão presos e quais serão colocados em liberdade condicional. Segundo o governo Federal, o Plano Nacional de Segurança deverá se posto em prática no início de fevereiro. Na ocasião, além do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Sergipe também serão beneficiados com o pacotes de medidas criadas para auxiliar na redução da taxa de homicídios, combater o crime organizado e modernizar o sistema penitenciário do Brasil. #Esquema de Corrupção #Desvio de Verbas