Como todos sabemos, a situação das cadeias brasileiras não é das melhores. De acordo com vídeos gravados pelos próprios presos, a barbárie realmente parece não ter limites. Um vídeo gravado na Penitenciária de Alcaçuz, no estado do Rio Grande do Norte, por exemplo, traz presos fazendo um churrasco com carne humana. A rebelião no local já dura seis dias e apenas deu uma "pausa" nesta sexta-feira, 20, para um culto evangélico. Presos clamaram a Deus depois de terem matado colegas de cela. Na penitenciária, os detentos foram mortos esquartejados e decapitados. Ela não foi a única. Outras rebeliões aconteceram em diversos estados brasileiros.

Os motins tiveram início com a virada do ano.

Publicidade
Publicidade

A maior rebelião - em número de mortos - foi a de Manaus, capital do Amazonas, como mais de sessenta assassinatos. Somadas, as confusões com os reclusos somaram mais de 100 perdas de criminosos. No vídeo que está chocando a web e foi gravado no Rio Grande do Norte, os detentos, que seriam da Família do Norte (FND), dizem que estavam comemorando a vitória sobre o Primeiro Comando da Capital (PCC). As facções rivais vivem no mesmo presídio, sendo separadas apenas por pavilhões. O governo agora vai construir um muro para tentar evitar que situações como essa aconteçam.

Nas imagens, diversos presos comemoram o que chamam de churrasco comemorativo e afirmam mais de uma vez que a carne realmente é humana, mostrando assim que eles praticam o canibalismo. A selvageria é tão grande que repercutiu em todo o planeta.

Publicidade

A mídia internacional questiona quem seria capaz de barrar tamanhas situações macabras, contínuas e sem nenhuma ordem.

Veja abaixo o vídeo que mostra o churrasco feito pelos detentos no Presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte. Atenção, a sequência pode ser considerada forte por algumas pessoas. Na sua opinião, é possível resolver a situação da criminalidade no Brasil? Não esqueça de deixar seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós e ajuda a estabelecer o diálogo.

#Crime