Na manhã desta quinta-feira (26), a Polícia Federal foi à casa do empresário e ex-bilionário Eike Batista para prendê-lo de forma preventiva pela segunda fase da investigação Calicute, a mesma que prendeu o ex-governador Sérgio Cabral, e que é derivada da Lava Jato.

Conforme apurou a Operação Eficiência e o Ministério Público Federal (MPF), Eike repassou para uma conta de laranjas no Uruguai US$ 16,5 milhões (R$ 52,34 milhões) em propina para o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral.

De acordo com a investigação, o empresário e o seu ex-braço direito Flávio Godinho usaram uma conta panamenha do Golden Rock no TAG Bank para pagar a propina pedida por Cabral no final de 2010.

Publicidade
Publicidade

Segundo o MPF, "para mascarar o repasse, foi realizado em 2011 um contrato de fachada entre a empresa Centennial Asset Mining Fuind Llc, holding de Batista, e a empresa Arcadia Associados, por uma falsa intermediação na compra e venda de uma mina de ouro".

Além disso, o empresário, Godinho e Cabral foram acusados de tentar intervir nas investigações da operação ao orientarem os donos da Arcadia Associados de confirmar a falsa história e mudar os rumos da operação.

Prisão

Desta forma, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, expediu, além do mandato de prisão de Eike, mais oito mandatos de prisão preventiva. Eles atingem a base do governo Cabral (2007-2014) e demonstram que a operação, além dos chefes, movimentava vários integrantes que compunham a administração.

A repercussão nas redes sociais foi imediata.

Publicidade

Várias pessoas retuitavam #Notícias do empresário Eike Batista preso enquanto outros se perguntavam por quê o Eike Batista foi preso, buscando motivos para a prisão do empresário. que era tido como um exemplo de bom administrador e que era cultuado por diversos brasileiros ao o verem estampando capas de revistas de sucesso ao construir um "império" que abrangia mais de dez empresas.

Um dos internautas, bem humorado, disse que Eike Batista vai para o "xadrex" em menção ao antigo “Império X” do empresário, que já foi um dos maiores bilionários do mundo. #Brasil #Lava Jato