A repórter da Tv Globo Minas, Larissa Carvalho, fazia uma matéria ao vivo, por volta das 00h00min, desta terça-feira (17), em frente do Presídio Antônio Dutra Ladeira. A repórter estaria transmitindo informações sobre o motim que estaria acontecendo na unidade prisional. E no momento ela estaria falando da superlotação, quando foi atacada por um familiar de um preso. A agressora foi contida por policiais e a repórter sofreu ferimentos leves.

A repórter Larissa Carvalho, que estava em frente ao Presídio Antônio Duarte Ladeira, que fica localizado em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde detentos iniciaram um motim na noite desta segunda-feira (16), e queimaram colchões.

Publicidade
Publicidade

A confusão foi causada por presos dos pavilhões 4, 5 e 6, de acordo com informações da corporação.

Larissa Carvalho fazia uma cobertura ao vivo, e relatava o problema da superlotação vivida dentro do presídio, passava um pouco da meia noite. Durante a exibição da matéria, iniciou uma gritaria de parentes de detentos que estavam do lado de fora aguardando notícias de seus familiares. A repórter seguiu a matéria falando do número superior à capacidade do presídio, quando aparece uma mulher e a empurra violentamente contra o chão, um membro da equipe de reportagem correu para socorrer a repórter, em quanto à agressora era contida por um policial.

A transmissão ao vivo foi interrompida, para que a situação fosse controlada e saber como estaria o estado de saúde da repórter. O local da reportagem foi isolado por policiais, para manter a segurança dos profissionais da imprensa.

Publicidade

Larissa Carvalho voltou e terminou a matéria para seus telespectadores do Globo News.

A repórter sofreu ferimentos leves em um dos braços, a agressora foi detida e levada pela polícia. Larissa registrou uma ocorrência na delegacia de plantão em Ribeirão das Neves.

A polícia conseguiu controlar a rebelião horas depois, e nenhuma fuga, e nenhuma morte foram registradas. A ação foi realizada por policiais do Batalhão de Choque, que cercaram o presídio e utilizaram bombas de efeito moral para conter a ação dos detentos.

A maior parte dos detentos que integram a penitenciária já estão em fase final do cumprimento de suas penas. Do cumprimento do regime semiaberto, sendo que em cada pavilhão abrigada uma média de 300 presos.

Segue abaixo o vídeo do momento da agressão:

#Violência