Nesta semana, a polícia federal surpreendeu o país ao anunciar que o empresário Eike Batista, que chegou a ser indicado como um dos dez homens mais ricos do mundo pela Revista Forbes, era foragido da justiça. Um vídeo divulgado nas redes sociais de agosto de 2016, no entanto, voltou a circular e foi repostado em matéria pelo site da Revista Veja. Na ocasião, o ex-bilionário, que estaria nos Estados Unidos e sem informações se vai ou não se entregar, teria se convertido à religião evangélica. O vídeo foi filmado em uma Assembleia de Deus, de um bairro humilde do Rio de Janeiro, Rocha Miranda. As imagens foram feitas por um fiel, que sabia da presença ilustre no local.

Essa não foi a única notícia envolvendo Eike e sua fé.

Publicidade
Publicidade

Ele teria chegado a fazer uma oferenda para Iemanjá com 1000 moedas de ouro. Pescadores procuram a fortuna até hoje. Muitos acreditam até que essa informação não seja uma fábula ou boato, mas se tratando de Batista tudo é possível. O empresário é acusado de um esquema de corrupção que envolve centenas de milhões de reais. Na ocasião, quem ministrava o culto evangélico era o pastor Daniel Silva. Ele, durante o culto chegou a dizer: "Batista aceitou Jesus o diabo perdeu". No entanto, meses depois, o empresário voltou a ser notícia, mas por conta de seus problemas na justiça.

O vídeo provocou e provoca muita polêmica. Nas imagens, os fiéis gritam aleluia e parecem crentes que o homem das imagens realmente mudou. Ninguém poderia imaginar, que meses depois, ele estamparia os principais sites do Brasil, por conta de seus problemas com a justiça.

Publicidade

A expectativa é que Eike apenas apresente-se à justiça brasileira, quando tiver certeza que não será preso. Ainda existe a possibilidade que ela possa pedir asilo à Alemanha. Isso porque Batista chegou a estudar faculdade de engenharia no país, mas não terminou. Até por isso, caso preso, Batista não tem direito à uma cela especial, podendo ir parar com outros presos.

Veja abaixo o vídeo que está provocando polêmica nas redes sociais:

#Crime