Quase dois mil quilos de medicamentos fora da validade foram encontrados largados em um local fechado no Hospital Municipal e Farmácia Básica de Jaru (RO). Segundo informações da própria Vigilância Sanitária, no sábado (28), os remédios se encontravam lacrados. A maioria dos medicamentos fora da validade eram antibióticos. As caixas foram apreendidas e devem ser queimadas pela Vigilância, pois não podem ser utilizadas.

Segundo o diretor da Vigilância Sanitária informou ao jornal G1, os antibióticos só foram encontrados agora, após a troca de prefeitos da cidade. Ele suspeitou de uma sala no hospital que sempre ficava fechada e então pediu que lhe dessem as chaves para olhar o que tinha naquele cômodo.

Publicidade
Publicidade

Ao abrir a sala, ele observou que havia diversas caixas de remédios que estavam fora da validade.

"Serão feitas algumas investigações, os medicamentos serão entregues a Secretaria Municipal de Saúde, onde será feita uma investigação para averiguar quem são culpados e o motivo do problema ter acontecido", disse o diretor em entrevista.

Toda essa investigação deve perdurar durante 20 dias para ser concluída e serem revelados os nomes dos culpados.

"Vamos chamar uma empresa, que é responsável pela incineração no começo do próximo mês, porém isso não vai atrapalhar em nada no processo de investigação, que deve fluir de forma moderada. Depois os documentos serão repassados ao Ministério Público de Rondônia para averiguar e apresentar a denúncia contra os culpados para a Justiça", finaliza o diretor.

Publicidade

Revolta

A lista feita na época para a aquisição dos medicamentos revela a incompetência dos autores da mesma, que não observaram criteriosamente quais os medicamentos que de fato eram necessários e consequentemente adquiri-los em quantidade proporcional à demanda, sem falar que em último caso, vendo que estes não teriam saída em tempo hábil, poderiam legalmente doá-los às secretarias de saúde dos municípios vizinhos.

Os moradores de Jaru estão indignados com essa situação, pois em muitos momentos precisaram e solicitaram os medicamentos ao Hospital, que sempre relatava a falta dos antibióticos.

A reportagem do G1 tentou contato com o ex-prefeito da cidade, Inaldo Pedro Alves, para ouvir suas declarações a respeito dos remédios fora da validade, mas ele não respondeu nenhuma das solicitações. #Polêmica #prefeitura #Política