No fim da manhã desta terça-feira (31), o ex-prefeito do município de Piên, que fica nos arredores de Curitiba, foi preso, após ser achado na própria casa escondido dentro do forro da residência. A operação faz parte da investigação sobre a morte de Loir Dreveck que foi eleito prefeito e tomaria posse no início desse ano. O ex-prefeito é Gilberto Dranka, e seria um dos co-autores do #Crime que ceifou a vida do concorrente. Os agentes da Polícia Civil que atenderam o caso compareceram à mansão de Gilberto e perceberam que o mesmo havia se escondido dentro do forro para não ser localizado. A ação de grande porte contou com inúmeros policiais que cumpriram o mandado para a prisão preventiva de três pessoas, realizaram condução coercitiva de mais três, e fizeram apreensões e vistorias na casa de oito pessoas, todas ao que parece envolvidas no assassinato do atual prefeito.

Publicidade
Publicidade

No vídeo o ex-prefeito aparece saindo de dentro do forro, e bastante assustado. Ele foi obrigado a se deitar no chão rapidamente, e ainda tentou falar alguma coisa com os policiais, mas foi xingado sob a ordem de ficar calado pois seria algemado. A prisão foi efetuada pelo Centro de Operações Policiais Especiais, e foi filmada como parte do processo de investigação. Assista às cenas da captura do político no link a seguir:

Loir foi morto enquanto fazia uma viagem com a família para Santa Catarina. O carro onde ele se encontrava foi abordado por uma motocicleta, e um homem efetuou diversos disparos contra ele. O crime aconteceu em dezembro do ano passado na PR-420, ainda na estrada. O prefeito foi atingido na região temporal do crânio e chegou a ser levado ao Hospital e Maternidade Sagrada Família, mas acabou não resistindo aos ferimentos graves.

Publicidade

O homem que disparou contra ele teria sido contratado por esse conjunto de pessoas, que tinham divergências políticas contra Loir, inclusive o ex-prefeito preso hoje. Ao que tudo indica se tratou de uma execução, pois mais ninguém foi atingido durante os disparos. O mesmo autor do crime teria disparado semanas antes do ocorrido em outro carro achando que se tratasse do prefeito, mas acabou matando a pessoa errada. Chegou-se a aventar a possibilidade de assalto a mão armada que foi logo descartada devido às características do crime. Os advogados de defesa de Gilberto disseram que não comentarão o caso até mais decisões sejam tomadas. #Investigação Criminal