Um caso inusitado ocorreu na cidade de Ribeirão Preto. Uma família, ao voltar de viagem para tratamento de um familiar doente em São Paulo, encontrou sua #casa ocupada por outros moradores.

A família, que ficou três meses fora, levou um susto ao chegar em casa. Uma outra família já ocupava o local. A família que está morando alega já estar no imóvel há 2 anos e que eles pagaram pelo imóvel.

Fernanda Souza, que havia se ausentado há 3 meses, afirma ser a real proprietária e que o atual morador, ao ser abordado, os ameaçou e disse que se não saíssem da frente da casa "dele" iriam levar tiro. A casa fica no Parque Residencial Cândido Portinari, Ribeirão Preto, SP.

Publicidade
Publicidade

Ela alegou que por conta da ameaça e de toda a situação tem apresentado problemas de saúde estando à base de remédios "tarja preta".

Fernanda disse a reportagem da EPTV, afiliada da Globo, que não voltou ao local nos 90 dias, pois a casa é toda fechada, tem cerca elétrica e era segura.

Após as ameaças do homem que ocupa o local, Fernanda e seus familiares resolveram deixar a casa para adotar as medidas judiciais cabíveis. Ela disse que ainda tentou viabilizar com o homem a entrada na casa para pegar alguns pertences, mas ele voltou a ameaçar.

"Como ele ameaçou minha mãe de 70 anos, achei melhor recuar", diz Fernanda que tem cinco trocas de roupa e alguns itens de higiene. "Foi tudo o que sobrou da minha casa".

Não tinha mais nada nosso lá

Três dias depois do susto, com a ajuda da polícia local, eles conseguiram entrar na casa e o susto ainda foi maior: nenhum pertence da família estava na local.

Publicidade

Nem móveis ou roupas e nem o carro que eles usavam.

O que alega o novo morador

Éder Fabri, o novo morador, diz que deu R$ 160mil à "velha", como se refere a tia de Fernanda, e ficou de pagar mais 20 parcelas de 2 mil. A tia, que também mora com Fernanda, diz que nunca viu o homem.

Ele ainda diz que "não vai ficar assim, perder R$160mil que eu tirei dos meus filhos para comprar a casa", em tom de ameaça. Afirma que o caso está com o seu advogado.

A polícia solicitou contrato de compra da casa, mas Éder não encontrou o documento.

Família proprietária diz que tem recibos

Fernanda, que tem mantido contato com a polícia, disse que os recibos da casa eram guardados junto com os documentos pessoais, no interior da residência. Como tudo foi levado, ela não os têm mais.

Entretanto, ela encontrou recibos de pagamento do IPTU que provam que está na posse do imóvel e cogitam até acampar na frente da casa. Eles alegam estar passando por uma "humilhação", quando se referem a todo o fato.

#Bizarro #propriedade